Aparecimento de Srila Jiva Goswami e Vamandev

cropped-Srila-Govinda-Maharaj

 

Por Srila Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswami Maharaj. Soquel, 2004

nama-srestham manum api sachi-putram atra svarupam
rupam tasyagrajam uru-purim mathurim gostha-vatim
radha-kundam giri-varam aho radhika-madhavasam
prapto yasya prathita-krpaya sri-gurum tam nato ’smi
(Raghunath Das Goswami, Sri Mukta-charitam: 2)

[“Eu ofereço minha reverência a Śrī Gurudev. Por sua infinita misericórdia eu recebi o melhor de todos os nomes do Senhor (o mahāmantra),o bīj-mantra de dezoito sílabas,Śrīman Mahāprabhu, Śrīla Svarūp Dāmodar, Śrīla Rūpa Goswāmī Prabhu,Śrīla Sanātan Goswāmī Prabhu, a morada suprema de Mathurā, o Rādhā Kuṇḍa, Girirāj Govardhan e a aspiração de servir Śrī Śrī Rādhā-Mādhava. ”]

vāñchhā-kalpa-tarubhyaś cha
kṛpā-sindhubhya eva cha
patitānāṁ pāvanebhyo
vaiṣṇavebhyo namo namaḥ

[“Repetidamente ofereço minha reverência aos Vaiṣṇavas, que são purificadores dos caídos, oceanos de misericórdia, e árvo­res realizadoras dos desejos.”]

yah sankhya-pankena kutarka-pamsuna
vivarta-gartena cha lupta-didhitim
suddham vyadhad vak-sudhaya mahesvaram
krsnam sa jivah prabhur astu me gatih
(Srila Baladev Vidyabhusan)

[“Com seus ensinamentos nectáreos, Srila Jiva Goswami Prabhu revelou o Supremo Senhor Sri Krishna, cuja refulgência tinha sido apagada pela lama da lógica do cálculo, pela poeira da lógica falaciosa, e pelo fosso do ilusionismo. Que ele seja meu abrigo.”]

Hoje é um dia muito auspicioso. É o Dia do Aparecimento de Śrīla Jīva Goswāmī Prabhu, que é o protetor da nossa sampradāya e um grande Āchārya. Śrīla Guru Mahārāj disse, jīvādyair abhirakita [que Jiva protegeu]. Toda a nossa sampradāya com tanta riqueza veio de Jīva Goswāmī Prabhu. Rupa–Sanātan deram tanto e Jīva Goswāmī Prabhu os protegeu de outras escolas da religião como a de Śaṇkar Āchārya, como a  de Kapila (o ateu) e sua filosofia sāṃkhya. Eles queriam estabelecer Brahma nirākār nirviśeṣ [plano espiritual sem diferenciação], mas Jīva Goswāmī Prabhu muito autêntica e sabiamente os derrotou e estabeleceu o achintya-bhedābheda-siddhānta [teologia da inconcebível unidade e diferença] de Śrī Chaitanya Mahāprabhu.

Ele nasceu em Bakla Chandradwīp como filho de Anupama. Anupama era o irmão de Rūpa–Sanātan. Aos doze anos Jīva Goswāmī veio para Nabadwīp e se encontrou com Nityānanda Prabhu, e Nityānanda Prabhu mostrou tudo a ele, todos os lugares dos Passatempos de Mahāprabhu Chaitanyadev. Viṣṇupriyā Devī o tomou como um filho e deu lhe tanta nutrição e afeto. Nityānanda Prabhu levou Jīva Goswāmī por toda Nabadwīp Dhām e lhe ordenou: “Mahāprabhu Chaitanyadev deu Vṛndāvan Dhām a todos vocês, então vá para Vṛndāvan.  Estou lhe dando minha misericórdia, minhas bênçãos, afeto, amor, tudo a você. Estabeleça a sampradāya de Mahāprabhu.”

Jīva Goswāmī foi, e no caminho ele recebeu alguma educação em Benares, Kashi [Varanasi]. Ele se tornou altamente qualificado em todas as escrituras: Vedas, Vedānta, Upaniṣads, Purāṇa, nyāya. Dentro de cinco anos, ele aprendeu e terminou sua educação porque ele sabia que se ele fosse até Rupa–Sanātan, apenas o serviço estaria esperando por ele. E então ele poderia fazer o serviço mais hábil, linda e autenticamente, depois que ele passasse pela educação.

Em seguida, a partir de Varanasi, ele foi até Rupa–Sanātan em Vṛndāvan, tomou abrigo e ficou com Rūpa Goswāmī Prabhu. Ele tomou dīkśā mantra de Rupa Goswāmī e sempre estava servindo Rūpa Goswāmī. Todos os Vaiṣṇavas, todos os goswāmīs—especialmente Rūpa–Sanātan, Bhaṭṭa Raghunāth, Gopāl Bhaṭṭa, Dās Goswāmī—todos lhe deram muita nutrição e afeto. Jīva Goswāmī também serviu toda a sampradāya por ficar em Vṛndāvan. Pela ordem de Rūpa Goswāmī, ele manifestou e estabeleceu o Templo  de Rādhā-Dāmodar, e quando Rūpa Goswāmī ficou mais velho, ele levou Rūpa Goswāmī para ficar no Rādhā-Dāmodar. Neste templo podemos ver o bhajan-kutīr de Rūpa Goswāmī e o samādhi de Rūpa Goswāmī, o samādhi de Kṛṣṇadās Kavirāj Goswāmī, o samādhi de Jīva Goswāmī e outros.

Uma vez Rādhā-Dāmodar quis me dar algum serviço mas eu não podia pegar,  porque não tinha mão de obra que fosse atuar com o coração e dedicação integrais. Esse tipo de pessoa é muito raro de conseguir. Apenas por dinheiro, como uma operação financeira, eu não poderia fazer isso, mas Rūpa Goswāmī é tão misericordioso e Śrīla Jīva Goswāmī é tão misericordioso também, que eles deram um pedaço do terreno ao lado de Rūpa Goswāmī. Essa terra é também a terra de Rādhā-Dāmodar. E de uma maneira muito crítica, mas legal eu consegui aquela terra através do meu telefone morto! Eu sempre pegava o fone para ver se ele funcionava ou não, e dessa vez eu peguei o receptor para ver se ele ainda estava morto e de repente uma pessoa de Vṛndāvan, Kṛṣṇa Vallabha, estava falando do outro lado da linha e me dizendo: “Mahārāj, quinze dias foram dados por ordem do Magistrado, que se você tomar este terreno dentro de quinze dias você terá essa terra de Jīva Goswāmī Prabhu.”

Então eu fiquei surpreso! Mas em quinze dias onde vou conseguir tanto dinheiro? Em quinze dias quem vai lidar com toda a documentação legal? E Kṛṣṇa Vallabha disse: “Você não se preocupe com o dinheiro. Dinheiro eu vou arrumar, mas mande uma pessoa sua”. Enviei Purnānanda e eu disse a ele para transferir legalmente o terreno em nome do Śrī Chaitanya Sāraswat Maṭh. Śrīla Jīva Goswāmī e Śrīla Rūpa Goswāmī são muito misericordiosos de terem dado aquela terra. Eu imediatamente comecei o serviço lá. Agora, há um prédio de três andares e um belíssimo templo de Śrī Śrī Guru Gaurāṅga Gāndharvā Rāsabihārī Jīu. O puṣpa-samādhi de  Śrīla Guru Mahārāj é dentro do templo. Vocês verão quando forem lá.

Śrīla Jīva Goswāmī Prabhu tinha um caráter muito forte, e ele foi muito bem educado em sânscrito e nas escrituras, esse tipo de pessoa. Às vezes, ele mesmo corrigia os escritos de Rūpa Goswāmī. Rūpa Goswāmī disse-lhe muitas vezes, “Jīva, veja se está perfeito ou não.”

E Gopal Bhatta Goswami teve que fazer os seis Sandarbhas,  a super autêntica escritura  da sampradāya de Mahāprabhu. E Śrīla Jīva Goswāmī disse: “Ela estava em uma forma desordenada, então estou fazendo isso de uma forma ordenada.” Dessa forma, ele deu a explicação, mas na verdade ele fez tudo.

Uma vez aconteceu que Vallabha Bhaṭṭa, que era muito erudito, viu que havia uma pequena falha em um śloka de Rūpa Goswāmī, e ele disse: Rūpa, há um pequeno erro aqui, você pode corrigi-lo dessa maneira.” Rūpa Goswāmī estava sempre dando honra a todos, e ele deu honra a Vallabha Bhaṭṭa e corrigiu aquilo. Mas Jīva Goswāmī sabia que o que Rūpa Goswāmī escreveu estava correto. Então ele foi pegar água no Yamunā, e ele foi atrás de Vallabha Bhaṭṭa, e lá ele o conheceu. Ele lhe disse: “O śloka que você tentou corrigir já está correto, eu acho.”

Então Vallabha Bhaṭṭa debateu com Jīva Goswāmī sobre o śloka e ele ficou muito feliz de ver que o que Jīva Goswāmī disse era perfeito. Então ele foi até  Rūpa Goswāmī e disse: “Rūpa, eu disse para você corrigir aquele śloka, mas não é necessário corrigi-lo. Ele está perfeito. Você pode mantê-lo” Então ele perguntou: “Quem é esse menino, de dezessete ou dezoito anos de idade?”

Rūpa Goswāmī disse: “Ele é meu sobrinho e está ficando aqui comigo. Ele é meu discípulo.” Vallabha Bhaṭṭa disse: “Oh, ele é muito educado e um grande paṇḍit. Ele me derrotou nisso.” Rūpa Goswāmī Prabhu ficou um pouco irritado com Jīva Goswāmī: “Ele é seu Guru, por que você foi corrigi-lo? Com esse tipo de mentalidade você não pode ficar comigo. Saia do meu kuñja. Volte para a casa de seu pai, em Bakla Chandradwip. Vá embora”. Jīva Goswāmī Prabhu ficou muito triste. Ele pensou: “O que devo fazer com a minha vida se eu não posso servir o meu Guru Mahārāj?”

Talvez embaixo da Vaṁśī Vaṭ [uma árvore], Jīva Goswāmī Prabhu foi escrever um livro, Śrī Gopāl-champu. Śrī Gopāl era seu grande amigo, e Śrī Gopāl era viciado no sakhya-rasa do Kṛṣṇa-līlā. Jīva Goswāmī disse: “Vou manter dentro da nossa forma seu sakhya-rasa, e vou escrever um livro para você, para a sua felicidade.” Jīva Goswāmī se lembrou daquilo e escreveu o Gopāl-champu.

Nisso, Sanātan Goswāmī se encontrou com Jīva Goswāmī e viu que ele estava fazendo prāya-upaveśam [jejum até a morte], sem tomar nem água, e desejando abandonar seu corpo. Sanātan Goswāmī foi até Rūpa Goswāmī e perguntou-lhe: “Rūpa, quais são os ensinamentos de Mahāprabhu, você pode dizer?”

Rūpa Goswāmī disse: “Sim. Jīve dayā, nāme ruchi, vaiṣṇava sevā, serviço aos Vaiṣṇavas, e jīve  dayā significa ser amável com as alma-jīvas e dar-lhes a consciência de Kṛṣṇa,  e Nāme ruchi significa tomar o Santo Nome, sempre. Isso é serviço. Esse é o ensinamento de Mahāprabhu.

Então Sanātan Goswāmī disse: “Você disse jīve dayā mas Jīva está abandonando seu corpo. Não foi bom isso que você fez. Não jogue Jīva fora. Ele é um bom garoto.”

Em seguida, Rūpa Goswāmī foi até Jīva Goswāmī e disse: “Jīva, volte.” Ele deu o serviço completo a ele, não só o serviço completo, mas responsabilidade de serviço—tudo. E hoje é o Āvirbhāv [dia do aparecimento] de  Śrīla Jīva Goswāmī. Todos os vads [ismos] que existiam ele derrotou. Mayavad, sankhyavad, buddhavad, todos estes ele derrotou e estabeleceu o  achintya-bhedabheda-tattva [princípio da inconcebível diferença e não-diferença] através dos seis Sandarbhas.

Jiva Goswami compôs muitos livros . E um livro muito bonito, eu gosto muito desse livro, é o Hari-namamrita-vyakaran, a gramática do sânscrito. E a gramática sânscrita é única, não conseguimos conceber que cada palavra de uma gramática indique Krishna. Gramática é gramática, mas ele fez gramática em consciência de Krishna. Isso é inconcebível. Todo nome que está dentro da gramática, todo assunto, tudo foi construído com consciência de Krishna. Eu li essa gramática e fiquei muito feliz. Eu senti que minha vida é bem sucedida, e isso também aconteceu. Eu não sei realmente sânscrito, mas pela graça de Jiva Goswami e pela misericórdia de Guru Maharaj, sou famoso em sânscrito. Mas na verdade eu não sou tão qualificado. Mais qualificação é necessária para entender. Mas Guru Maharaj deu o ponto vital para mim e eu posso saborear com isso.

De qualquer forma, o dia do Aparecimento de Jiva Goswami Prabhu é hoje. Isso significa que toda a luz, toda a força, toda a beleza e todas as belas concepções da consciência de Krishna vieram através de Srila Jiva Goswami Prabhu para nós. E essa é a nossa riqueza. É a riqueza da nossa vida e a riqueza do mundo espiritual. Ninguém mais deu o que Jiva Goswami Prabhu deu. E assim Baladev Vidyabhusan quando foi derrotar o acharya da Sri sampradaya, sob a qual fica a seção Ramanandi, foi desafiado: “Vocês não têm nenhum comentário do Vedanta.” Em resposta a isso, Baladev Vidyabhusan escreveu o Govinda-bhasya.

Nem Mahaprabhu nem Jiva Goswami compuseram tal Vedanta-bhasya. Bhasya significa uma explicação e interpretação. Contudo, um bhasya foi dado por Jiva Goswami através dos seis Sandarbhas, composto pelo Tattva-sandarbha, Bhakti-sandarbha, Priti-sandarbha, Paramatma-sandarbha, Bhagavat-sandarbha e Krama-sandarbha. Depois de ler os seis Sandarbhas, Baladev Vidyabhusan escreveu um pranam mantra para Jiva Goswami no início do Govinda-bhasya:

yah sankhya-pankena kutarka-pamsuna
vivarta-gartena cha lupta-didhitim
suddham vyadhad vak-sudhaya mahesvaram
krsnam sa jivah prabhur astu me gatih

“Jiva é o super protetor da nossa sampradaya contra todas as perturbações. Curvo-me aos seus pés de lótus.”

Ele estabeleceu Krishna, que é o Paramesvar [o Senhor Supremo], que é o  sach-chid-ananda-vigraha [a personificação da eternidade, da consciência e da alegria], que é anadi (sem começo), que é adir [o começo], cujo Nome é Govinda e quem é a causa de todas as causas. Jiva Goswami Prabhu estabeleceu neste mundo o que está escrito no Brahma-samhita.

Referência:

yah sankhya-pankena kutarka-pamsuna
vivarta-gartena cha lupta-didhitim
suddham vyadhad vak-sudhaya mahesvaram
krsnam sa jivah prabhur astu me gatih
(Srila Baladev Vidyabhusan)

jivah–Sri Jiva prabhuh–Prabhu, yah–quem sudhaya–através do néctar vak–de [suas] palavras vyadhad–tornou suddham–claro mahesvaram–o Supremo Senhor krsnam–Krishna [cuja] didhitim–refulgência [tinha sido] lupta–oculta pankena–pela lama sankhya–do cálculo, pamsuna–a poeira kutarka–da lógica falaciosa [nyaya], cha–e gartena–o fosso vivarta–do ilusionismo [mayavad]. [Que] sah–ele astu–seja me–meu gatih–abrigo.

“Com seus ensinamentos nectáreos, Srila Jiva Goswami Prabhu revelou o Supremo Senhor Sri Krishna, cuja refulgência tinha sido apagada pela lama da lógica do cálculo, pela poeira da lógica falaciosa, e pelo fosso do ilusionismo. Que ele seja meu abrigo.”

 

Hoje também é o Aviribhav de Vamandev. Vocês conhecem Vamandev? Ele apareceu para ensinar Bali Maharaja. Bali Maharaja iniciou um grande sacrifício de fogo e havia tantas grandes personalidades. Se ele tivesse sucesso, então ele poderia derrotar todos e conquistar permanentemente os céus e outros lugares. Para isso, pela ordem de Sukracharya, Bali Maharaj começou a fazer aquele grande sacrifício de fogo. Mas naquela época todos os semideuses estavam com muito medo. Eles foram ao Senhor Krishna e Krishna assumiu a forma de Vamandev. Aditinandan. Seu nome é Aditinandan. Ele foi naquele dia até o discípulo de Sukracharya, Bali Maharaja, que estava fazendo um grande sacrifício de fogo.

Ele foi lá na forma de um mendigo brahman baixinho. Vendo-O, Bali Maharaj disse: “Eu prometi que neste período, se alguém quiser qualquer coisa de mim, eu darei a ele. Então me diga menino brahman, o que você quer?” Sukracharya era um brahman altamente qualificado e ele entendeu que o menino brahman era Vishnu e não um menino brahman, e que Ele queria tirar tudo de Bali Raja. Então ele disse a Bali Raja: “Esse menino não é um brahman. Ele é realmente Vishnu vindo até você para pedir algo. Mas se você der você perderá tudo.”

Então Bali Maharaja disse: “Eu prometi que neste período, qualquer coisa que me pedirem, eu darei.” Então ele disse: “Oh brahman, me diga o que você quer?” E Vamandev disse: “Eu quero terra—três passos de terra do tamanho dos meus pés”.

“Sim, eu prometo que vou dar a você.” Ele pegou o pote de água kamandalu e quis dizer o sankalpa mantram [uma formalidade védica então predominante]. Naquele momento Sukracharya ficou muito perturbado e entrou no bico do kamandalu e fechou o orifício ficando ali. Ele colocou a cabeça lá para que a água não caísse.

E Bali Maharaj perguntou:”O que aconteceu?” Vaman respondeu: “Nada aconteceu, vou limpar aqui”. Então ele pegou uma grama kus e empurrou-a pelo bico, e um olho de Sukracharya foi arrancado. Então Sukracharya saiu dali e destampou o orifício. A água caiu para o sankalpa e ele a deu a Vamanadev. Vamanadev então disse: “Agora posso colocar meus pés na terra. Que terra você dará? “Seja nesse planeta ou em outro lugar, qualquer lugar que você possa tomar.”

“Eu quero Svarga, Martya, Patala. Os céus, os mundos materiais e os mundos subterrâneos, Patala.”  Quando Vamandev deu seus passos, ele conquistou com seu primeiro passo Svargaloka, e com seu próximo passo Martyaloka. Bali Maharaja perguntou: “Onde está o seu outro passo?” Nada estava na mão de Bali Maharaj porque Svarga e Martya haviam sido tomados. Então ele deu Patalaloka. Quando Vamandev tomou Svarga, Martya, Patala, então Vamandev pediu-lhe: “Dê daksina!”

Bali Maharaja respondeu: “Que daksina eu vou dar? Eu não tenho nada. Svarga, Martya, Patala já lhe dei.” Então Vamandev disse: “Você se curva e eu vou colocar meu pé em sua cabeça”. Ele deu bênçãos a Bali Maharaj e lhe disse: “Estou muito feliz com você. Você vá para Patalaloka e fique lá. Não fique aqui em Svargaloka. Eu escolhi Patalaloka para você. Vá e fique lá.” Então Bali Maharaja disse: “Ok, como Você está ordenando eu farei.”

Vamandev disse: “Estou muito feliz com você. Escolha algum benefício de Mim”. E Bali Maharaj disse: “Se você está satisfeito e muito feliz comigo, então seja meu porteiro naquele lugar, em Patala, a residência que você selecionou para mim. Então para sempre Você estará lá.” Vamandev aceitou.

O Avirbhava (aparecimento) de Vamandev é hoje, Vaman dvadasi. Toda vez esse é um tipo muito crítico de dvadasi porque às vezes Vishnu-srinkala-yoga está acontecendo, e o Ekadasi está acabando, e o Vishnu-srinkala está acontecendo no dvadasi. De qualquer maneira, ontem foi Vishnu-srinkala, e hoje é Vaman dvadasi, então nós temos os dois: Vishnu-srinkala-dvadasi e o Dia de Aparecimento de Jiva Goswami. Todas essas coisas auspiciosas acontecem hoje.

Jay Om Visnupad Srila Bhakti Raksak Sridhar Dev-Goswami Maharaj ki jaya!

Bhagavan Srila Bhakti Siddhanta Saraswati Thakur ki jay!

Prabhupad A.C.Bhaktivedanta Swami Maharaj ki jay!

Vamandev Avirbhav ki jay!

Srila Jiva Goswami ki jay!

 

 

 

 

 

UMA AFINIDADE ESPECIAL

 

lotus media

crédito: Bahman Farzad. Flickr.com

Por Sripad Bhakti Kamal Tyagi Maharaj, 2017.

Escutamos Gurudev dizer que de todos os dias do ano, esse era o seu dia favorito. Sem dúvida ele disse que os dias de aparecimento dos grandes Vaisnavas, ou do nosso Guru-varga são mais importantes ainda para nós do que o aparecimento do Senhor Ele mesmo.

Mad-bhakta-pūjābhyadhikā (SB 11.19.21). Porque o Senhor fica mais satisfeito conosco quando glorificamos seus servos, mesmo se nós O glorificarmos. Srila Param Guru Maharaj descreve que nossa fortuna, nossa linha de prospecto descende a nós através de muitos, não é através de um. Nossa obrigação acima de tudo, é de glorificar a estação imediata, através da qual fomos alcançados, esse é o nosso ponto principal de glorificação. Dessa perspectiva, também, o aparecimento de nosso Gurudev, do nosso Guru-varga devem receber nossa maior atenção.

Todas estas coisas consideradas, Srila Gurudev observou também que este dia, Lalita Saptami, era o dia favorito para ele. A causa disso, escutamos sobre sua primeira visita a Sri Vrndavan Dham com Guru Maharaj. E Gurudev sempre se lembrava com muito carinho dessa viagem, eles no trem, saindo de Delhi, a hospedagem na casa de um irmão de Guru Maharaj, que na época estava praticando algo dos babajis, a simplicidade com que eles viviam, praticando madhukari pedindo chapatis, e guardando-os em uma caverna. Dia após dia. E nessa época Srila Krsna Das Babaji Maharaj estava lá, e hospedou Guru Maharaj. Então em uma ocasião Guru Maharaj começou a falar a Gurudev e alguns outros  devotos sobre o último verso do Siksastakam, āśliṣya vā pāda-ratāṁ pinaṣṭu mām [Ele pode abraçar esta serva, Ele pode pisar em cima de mim.] E falou com profundidade e detalhes, a ponto de Srila Krsna Das Babaji expressar alguma hesitação a Guru Maharaj: “Porque você está ensinando tais coisas a esse jovem menino? Antes disso, quando Gurudev chegou, na época do Nrisimha Chaturdasi, Guru Maharaj havia pedido que seus irmãos o testassem, inclusive Babaji Maharaj: “Esse jovem menino veio, por favor o testem.” E naquela primeira semana, Babaji o testando, ficou impressionado com Gurudev. E veio a Guru Maharaj e lhe disse para dar atenção especial ao menino, pois ele tinha grande capacidade. E mesmo ficando impressionado com Gurudev, ao ver um Hari-katha de nível tão alto sendo falado com ele, ele expressou alguma hesitação. Não muito sobre Gurudev, mas um tópico tão avançado em tempo tão curto. E Guru Maharaj disse: “Eu considerei isso, e ele é qualificado. Ele pode escutar tais coisas.” Desde essa época Guru Maharaj deu descrições muito especiais e profundas sobre a linha de  Rupanuga-bhajan a Srila Gurudev.

Também escutamos que Guru Maharaj estava no Vraja Mandal Parikrama com Srila Saraswati Thakur, e Saraswati Thakur testou alguns discípulos que estavam ali com ele. Algo chamado ruchi pariksa, uma avaliação do gosto e do sentimento dos devotos. E ele perguntou que lugar Guru Maharaj tinha gostado, e ele disse: “Kadam-kandi, o lugar de Srila Rupa Goswami, nesse lugar eu encontro uma qualidade especial.” Srila Saraswati Thakur reconheceu isso, não disse muita coisa naquele momento, mas depois em outra ocasião, ele estava falando, e o tema do Kadam-kandi veio à tona, então ele disse para Guru Maharaj: “Seu lugar!” Assim ele indicou estar muito feliz com a escolha e o foco de Guru Maharaj. A linha exclusiva da Rupanuga.

Similarmente, anos depois Guru Maharaj testou Gurudev: “Onde você encontra algum sentimento especial?” E Gurudev respondeu: “Uchcha Gao, o lugar de Lalita Devi, a alguma distância de Varsana.” E Gurudev disse depois que quando visitou ali com Guru Maharaj teve uma visão divina. Ele não a descreveu em detalhe,  mas um tipo de visão ele teve, de maneira que ficou uma impressão muito profunda em seu coração. Ele teve um sentimento claro de que sua posição eterna de serviço tinha conexão com aquele lugar. Nós não pensamos que entendemos estas coisas, mas algo assim em geral, e então quando Guru Maharaj o perguntou, ele respondeu sobre este lugar, e Guru Maharaj ficou muito satisfeito de escutar isso, porque o lugar tem significância direta na linha Rupanuga.

Nos é dito que no plano aprakrta há alguma hierarquia na administração do serviço, ou como Gurudev brincou uma vez, quando ele estava em um grupo de devotos que formava um comitê para montar um templo. Então ele disse: “Mesmo em Vrndavan eles servem através de um comitê. As Asta-sakhis, Lalita, elas também têm um comitê.”

Na linha da Rupanuga sampradaya, a posição da jiva pode ser concebida como a 5ª, ou 4ª ou 3ª, dependendo de como você conte. Mas se nós dissermos que sem dúvida a pessoa mais proeminente é Srimati Radharani, e que também se concebe que ela está eternamente engajada no serviço amoroso a Krishna, então podemos dizer que Ele ocupa a posição de desfrutador, e Srimati Radharani é a líder da seção inteira e de tudo o mais. E a partir dela, a primeira assistente, Srimati  Lalita Devi, e a principal assistente de Lalita Devi, Sri Srupa. O prospecto mais elevado da jiva está nisso: o serviço de Krsna, sob o serviço de Srimati Radharani, sob o serviço de Lalita Devi, sob o serviço de Sri Rupa. 5º lugar então. Não é o primeiro nem o segundo. E a posição da jiva é removida dessa maneira.

E há muito profundas descrições disso de Guru Maharaj, de acordo com o rasa-vichar, ou se alguém tem a aspiração de saborear rasa no máximo, então será nesse alinhamento, em meio ao absoluto, onde a mais alta qualidade e quantidade de rasa é para ser encontrada.

Então a partir do senso comum, da referência escritural, e por análise ontológica, essa conclusão é tida como suprema pelos Rupanugas. A conclusão de Srila Gurudeva é perfeitamente congruente com este siddhanta, pois aqueles que carregam a aspiração a servir Sri Rupa, onde será o primeiro ponto de ação ou engajamento deles? Será sob a direção de Lalita Devi. E ter uma afinidade especial pelo serviço encontrado no lugar dela é natural. De qualquer maneira Guru Maharaj ficou muito satisfeito com isso. E Gurudev disse: “Ele me deu algumas instruções confidenciais especiais sobre devoção naquela ocasião.” O quanto sabemos sobre isso? Gurudev nunca as repetiu para ninguém. Mas as manteve em seu coração.

De uma perspectiva material, o começo de sua vida devocional se deu com o engajamento no serviço a Guru Maharaj, Mahaprabhu, aos Vaisnavas, da perspectiva de estar situado na realização e graça plena para cultivar o mais alto ideal que pode ser encontrado. Todo seu engajamento de serviço, sempre foi como um serviço rendido ajustado precisamente de acordo com aquele mais alto ideal de devoção dado em nossa sampradaya. Então essa é a vida e exemplos maravilhosos de nosso Gurudev Srila Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswami Maharaj.

E nesse dia ele sempre falava com alegria da felicidade de se lembrar destas coisas, de refletir em nossa linha de serviço.

E tanto ele quanto Srila Guru Maharaj repetiam neste dia o primeiro verso do Sri Lalitastakam, composto por Srila Rupa Goswami, porque este verso representa ou mostra a característica que define a sampradaya, a característica que define aqueles que aspiram a servir nesta linha, dizendo:

rādhā-mukunda-pada-sambhava-gharma-bindu-
nirmañchanopakaraṇī-kṛta-deha-lakṣām
uttuṅga-sauhṛda-viśeṣa-vaśāt pragalbhāṁ
devīṁ guṇaiḥ sulalitāṁ lalitāṁ namāmi
(Śrī Lalitāṣṭakam: 1)

Onde é descrito que para remover mesmo uma gota de suor dos pés de lótus de Radha e Krsna, Lalita Devi vem como se tivesse 100 mil corpos para esse serviço. E em várias aulas escutamos 3 significados diferentes para essa expressão: ‘como se tivesse 100 mil corpos’.

Um significado é que tal intensidade e vigilância no serviço são como se ela tivesse 100 mil corpos. De tanta intensidade e tanto entusiasmo que ela vem executar esse serviço.

Outro significado é que a tolerância à adversidade, aos obstáculos, e às dificuldades quando ela está prestando esse serviço, é ilimitada, significando que ela está pronta para nascer 100 mil vezes, e passar pelo nascimento, morte, velhice, doença, tudo para prestar tal serviço. Ela está pronta para encarar ilimitadas adversidades para poder prestar tal serviço.

E o terceiro significado para ‘como se tivesse 100 mil corpos’, é que ela está compassivamente e quase forçosamente pronta para engajar centenas de milhares de pessoas nesse serviço. E ela está coordenando, administrando, ajustando, motivando, e vindo com uma grande campanha para executar essa função. E qual é essa função? Satisfazer a menor necessidade de Radha e Krsna. Que é fazer o maior esforço para realizar a menor necessidade Deles.

Esse é o princípio da nossa sampradaya. Esse é o espírito a se alcançar. O que estamos cultivando? O que devemos sentir em nosso coração à medida que praticamos aspirando nessa linha, já que recebemos a graça de entrar nesta linha através de nosso Guru-varga? Tal gosto extremo, tal apetite extremo para o serviço. Esse é o nome do jogo. Esse é o foco de todos nós.

E esse desejo por serviço que ela tem é tão intenso, que a analogia usada é pragalbhāṁ: que Guru Maharaj em algumas ocasiões traduziu como arrogante, corajosa, impudente. Em outras palavras, por causa do desejo de servir que ela tem, ela transgride normas convencionais de respeito, ou de etiqueta. Como Srila Gurudev descreveu, às vezes ela até repreende Srimati Radharani: “Você está se entregando a Krsna muito facilmente. Você vale mais do que isso. Não permita que Ele a tenha tão facilmente.”

Em outras ocasiões ela criticar Krishna: “Como Você ousa não ter suficiente respeito por minha ama?” Estas coisas são do plano aprakrta. Então não sabemos nada sobre isso, mas escutamos de Gurudev, fomos lembrados disso, e levamos acima da nossa cabeça nosso prospecto mais alto. Então esse ponto deve ser notado sobre Lalita Devi, a guardiã de toda a sampradaya.

Nós podemos constatar isso em conexão com Svarup Damodar, quando um devoto veio e transgrediu a etiqueta durante o Gundichan Marjan Lila, então Mahaprabhu disse a Svarup Damodar: “Olhe o comportamento do seu Gaudiya!” E compreendendo sua indicação, Svarup Damodar veio, agarrou o devoto pelo pescoço, e o colocou para fora do Templo. Porque isso era o que Mahaprabhu queria naquele momento, mas Saraswati Thakur em seus comentários assinalou esse ponto dizendo que ele é muito significante no Chaitanya-charitamrta: tomāra ‘gauḍīyā ( Madhya-lila 12.125). Ele disse que através dessa declaração Mahaprabhu está indicando ali que todos os Gaudiya Vaisnavas estão sob a proteção de Svarup Damodar. Svarup Damodar é ‘O’ Gaudiya Vaisnava. Todos os outros Gaudiya Vaisnavas pertencem a ele. Assim como isso existe no Gaura-lila, também existe no Krsna-lila.

Então qualquer um que teve a benção de escutar os princípios da devoção pura, e de aspirar completamente na linha do serviço exclusivo daquele plano transcendental mais elevado, eles não podem ter nenhum prospecto que não seja o consenso, a graça de Srimati Lalita Devi.

Mas por fim, Srila Guru Maharaj também diz que o humor de Lalita Devi é um pouco como o de Nityananda Prabhu, como nesse terceiro significado do verso, ela também pronta e ativamente quer engajar qualquer pessoa, todas as pessoas, o máximo possível no serviço a Radha e Krsna. E é dito que mesmo em seu dia de aparecimento, ela sai e quer organizar e providenciar mais serviço, serviço extra, com mais pessoas servindo Srimati Radharani. Essa é uma razão para celebrar. Nossos guardiões mais elevados, essas pessoas mais elevadas dos Passatempos eternos do Senhor, têm um desejo, um movimento extra em tentar engajar mesmo pessoas como eu, que tenho orgulho e resistência, nessa mais maravilhosa brincadeira divina.

Jay Srila Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswami Maharaj ki, Jay.

Jay Srila Bhakti Pavan Janardan Maharaj ki Jay.

Jay Sri Lalita Saptami ki Jay

Hari-nam-sankirtan ki jay

Gaura Premanande, Haribol.