Introdução ao Siksastakam – por Vishaka DD (BBB 4/2014)

visaka Introdução: Nesta aula dada ao grupo de estudos, Vishaka DD, faz uma introdução ao Siksastakam diretamente de Soquel, EUA. Abaixo está um resumo adaptado dos principais pontos transmitidos pela Vishaka Devi Dasi durante a conferência. Para saber mais sobre o grupo de estudos e participar das próximas aulas dos Siksastakam clique aqui.

 

 

 

_______ Eu vivi na Índia por muitos anos, como um serviço que Srila Gurudeva me deu. Provavelmente vocês me conheceram lá. Recentemente, por questões de saúde tive que voltar ao Ocidente para alguns tratamentos e recebi convites para ficar em Londres (que passei alguns meses) e em Soquel nos EUA. A comunidade americana tão doce, sob a direção de Srila Janardan Maharaj, conquistou meu coração com sua nutrição então a minha nova rotina deve ser viajar para India e voltar para cá com frequência.

Hoje eu queria compartilhar com vocês a importância do Siksastakam que literalmente quer dizer as 8 instruções, que foram deixadas por Sriman Mahaprabhu. Srila Gurudeva nos disse que Mahaprabhu empoderou seus seguidores para transmitir Seus conhecimentos, assim Srila Rupa Goswami, Srila Sanatana Goswami, Srila Ragunath Goswami, Srila Jiva Goswami e todos na linha da Rupanuga sampradaya.

Nós consideramos todo o conteúdo produzido por Ruga Goswami não-diferente dos ensinamentos de Mahaprabhu trazidos em uma linguagem especial. Os seguidores de Mahaprabhu são praticantes do Harinama Sanktirana movimento trazido pelo Bhavagam Avatar da Era de Kali Yuga (encarnação de Deus na era da degradação). É dito que quem tem a mente focada em porcaria não poderá apreciar este conhecimento, somente quem tem sukrit (boa fortuna espiritual) pode apreciar.

Este processo espiritual é Nama Sankirtan (cantar dos Santos Nomes) e o Siksastakam vem nos ensinar como canta-los, qual é a posição dos Santos Nomes, o que Eles provocam, qual é o humor do cantar adequado. Os Santos Nomes são transcendentais. Então é dito que no começo do movimento as pessoas cantavam e faziam kirtans (sessões de cantos de mantra) muito entusiasmadas, mas estas mesmas pessoas não puderam manter isso e foram se perdendo.

O motivo é porque elas estavam engajando os sentidos mundanos no processo a língua e os ouvidos. Srila Prabhupada explicou isso de uma forma leve, mas quando os seus devotos foram  visitar Srila Guru Maharaj, Ele deixou claro que o processo não era desta forma, então eles retornaram ao ocidente em comoção anunciando a grande revelação: “Nós não estamos cantando os Santos Nomes!”. Existe um poema de Rupa Goswami que diz que tudo que é transcendental está acima dos sentidos e só poderá ser acessado através do serviço devocional no humor apropriado.

Que o serviço talvez possa atrair de alguma forma o transcendental, que o humor apropriado é o oposto do desfrute. No livro de canções Srila Bhaktivinoda Thakur Saranagati (rendição) – existe uma canção que fala que os Santos Nomes entram através dos ouvidos através do mantra proferido por um Vaisnava puro. Este é o primeiro pré-requisito: conexão com uma fonte fidedigna. Então quando isso acontece, Eles vão para o coração que é o centro da nossa existência. E lá Eles ficam adormecidos, até que um ambiente favorável se manifesta, até que o solo esteja fértil.

Quando isso se manifestar Eles saltarão em um estado de dança dentro do coração e forçosamente, irão se impor a língua. Os Santos Nomes irão nos fazer cantar, Eles nos usarão. Será impossível de controlar. Os Santos Nomes não são um objeto que nós cantamos quando desejamos de forma controlada. Eles são superiores a nós. E esta é a perspectiva que devemos adquirir. Temos o mesmo tipo de visão sobre a prasadam de desfrutar a prasadam: “oh eu adoro esse bolo de chocolate, ah este doce está muito bom, por favor me dê mais desta preparação”. Na verdade nós viemos para honrar o remanescente de Deus que se encontra dentro daquela comida, isto é um serviço. Desta forma Eles vão nos ver.

É tão linda a história de Srila Gurudeva quando ele foi ver a deidade do Senhor Jaganath em Puri, que todos vem como uma deidade de forma estranha com Seus olhos grandes e forma distinta. Mas Srila Gurudeva ia e falava “Eu estou aqui” e fazia um sinal de continência. “Eu estou aqui, por favor me veja, você pode ver o bom em mim, o mau em mim e pode fazer com que eu seja quem você gostaria que eu fosse”.

Compartilhamos de uma grande doença neste mundo material, entramos neste mundo de ponta cabeça e o resultado é que vemos tudo invertido, uma imagem pervertida da realidade. Então o que é cima é baixo, o que é direita é esquerda. Os Santos Nomes não são o objeto do nosso cantar, nós somos os objetos dos Santos Nomes. É preciso entender a concepção, ter uma visão apropriada para poder praticar. Srila Saraswat Thakur dizia que a visão real começa no ouvir de um Vaisnava. E através do ouvir então teremos olhos para ver.

Certa vez Srila Saraswat Thakur estava dando uma aula para seus discípulos em Puri sobre Krishna, então certo momento o Aroti estava prestes para começar, então um discípulo começou a se levantar e Srila Saraswat Thakur lançou a ele um daqueles olhares que Srila Gurudeva nos lançava quando fazíamos tolices. O discípulo falou que gostaria de ir ao Aroti. Srila Saraswat Thakur continuou olhando feio para ele mas não o impediu. Quando ao final do Aroti o discípulo voltou, Srila Saraswat Thakur interrompeu sua aula e lhe perguntou: “Você viu o Arati?” e quando o discípulo disse que sim Ele respondeu: “Você não viu nada, porque se tivesse visto, seria incapaz de ter voltado aqui. Quando Sriman Mahaprabuu ia ter o darsham (a visão) da deidade de Jaganath em Puri ele via Krisnha tocando sua flauta e sofria todas as reações corpóreas do extase do amor divino. Então Srila Saraswat Thakur deu muita enfâse a importância de termos uma concepção apropriada.

Srila Gaura Kisora Das Babaji Maharaj viveu como um guru retirado e não teve nenhum discípulo, exceto por Srila Saraswati Thakur. Certa vez havia um falso babaji que fazia a leitura do Bhagavatam por dinheiro e assim reunia milhares de pessoas em sua atividade. Pensando em ampliar sua notoriedade este falso babaji pediu para que Gaura Kisora ouvisse a sua leitura, que recusou inúmeras vezes. Como queria ampliar sua fama, este babaji então começou a recitar o Bhagavatam em frente da choupana de Gaura Kisora e as pessoas ficaram impressionadas pensando: “Olhem, Srila Gaura Kisora está escutando seu recitar”.  Ao final desta sessão um servo pergunto para Srila Gaura Kisori o que ele tinha achado e ouviu então a ordem: “traga por favor estrume fresco para purificar este lugar” (é uma tradição usar estrume para purificar lugar de baixa energia espiritual). O servo chocado disse, mas ele leu uma escritura sagrada, este lugar está mais que purificado ao que ouviu de Gaura Kisori: “você ouviu algo espiritual? Tudo que eu ouvi foi  ‘taka, taka, taka'” (Dinheiro, dinheiro, dinheiro).

Srila Gurudeva nos contou uma vez  outro incidente com Gaura Kisora, que houve um tempo que um imitador o seguiu por meses, imitando tudo o que fazia para se passar por um santo. Um servo perguntou a Gaura Kisori qual era a posição espiritual daquele senhor: “Uma mulher que não está grávida, pode chegar num lugar e imitar perfeitamente os sintomas de um trabalho de parto, pode gritar, suar, fazer força, mas quando é chegado o momento do resultado final, ela não poderá entregar um bebê, nada sairá dela, por ela não carrega nada”. É preciso ter uma concepção antes da prática e isto é o que o Siksastakam nos ensina, qual é a verdadeira concepção sobre os Santos Nomes, antes de ingressarmos no serviço do seu cantar.

Eu gostaria de encerrar esta aula como uma introdução ao Siksastakam, vamos marcar uma próxima aula para entrar devidamente nos oito ensinamentos de Sriman Mahaprabhu.

BBBClass 3/2014: Sadhu sanga – o poder da associação – Sripad Vaisnava Maharaj

Introdução:

Este artigo é uma compilação de alguns dos materiais apresentados no Tema 3 Sadhu Sanga – do Back to Bhakti Basic Class (De volta ao básico de Bhakti Yoga), e traduzidos por Rasa Sundari Devi Dasi – Uberlândia.

Nesta edição do encontro nacional transmitido ao vivo pela internet foram compartilhados entre os participantes.

Para saber mais sobre o Grupo de Estudos, se inscrever e participar clique aqui.

TEMA 3 – Sadhu Sanga

Este vídeo de Sripad Vaisnava Maharaj foi a abertura do encontro, que seguiu com a seleção de trechos de escrituras sobre Sadhu Sanga e de trechos de obras de Srila Sridhar Maharaj e Srila Govinda Maharaj nas quais eles explicam o tema:

Trechos de Escrituras:

“A pessoa que deseja obter opulência Divina deve adorar aquele que é atmajña, auto-realizado. Isto é, deve adorar um devoto de Sri Hari, a Suprema personalidade de Deus” – Mukunda Upanishad 3.1.10

“Na associação de devotos puros, discussão de passatempos e atividades da Suprema Personalidade de Deus são muito agradáveis e satisfatórias aos ouvidos e ao coração. Pelo cultivo de tal tipo de conhecimento uma pessoa pode gradualmente avançar no caminho da liberação. Depois disso ele se torna liberto e sua atenção se torna fixa. Aí então a devoção real e o serviço devocional começam”. Sri Bhagavatam 3.25.25

“Meu querido rei Rahugana, a menos que a pessoa tenha a oportunidade de borrar seu corpo com o pó sagrado dos pés de lótus de grandes devotos, ela não poderá realizar a Verdade Suprema. Uma pessoa não pode realizar a Verdade Suprema simplesmente por observar o celibato, por adorar uma deidade, por aceitar o voto de sannyasi, por seguir perfeitamente as regras do ashram de grhastha (da vida familiar), nem pode obter este tipo de verdade por aceitar severas penitências e austeridades, por estudar os Vedas ou por adorar os semi-deuses do Sol e da água. Apenas pelo banhar na poeira dos pés de lótus de um devoto puro a Verdade Absoluta é revelada”. Sri Bhagavatam 5.12.12

Trechos de Obras dos mestres da Sri Chaitanya Saraswat Math:

1. Sridhar Maharaj – Vulcão Dourado do Amor Divino

Ao mesmo tempo, devotos virão até nós dizendo: “Não tenha medo. Nós somos todos como você. Vamos caminhar juntos em linha reta. Não tenha medo – nós estamos aqui.” É dito que os devotos de Krishna são ainda mais simpáticos conosco do que o próprio Sr Krishna. O consolo para nossas vidas e de (a) nossa fortuna são Seus devotos, e Krishna diz: Mad bhaktānāṁ cha ye bhaktāḥ: “Aquele que é servo do Meu servo é o Meu verdadeiro servo”. Sadhu-saṅga, a associação com pessoas santas é o que há de mais valioso e importante para as nossas vidas. Para guiar o nosso avanço e o nosso progresso em direção ao infinito, a associação é o nosso guia; e é isso o que importa. Devemos nos fixar nesta conclusão:

‘sādhu-saṅga’, ‘sādhu-saṅga’,—sarva śāstre kaya

lava-mātra sādhu-saṅge sarva-siddhi haya

“A conclusão que foi dada pelas escrituras é que toda a perfeição pode ser alcançada com a ajuda de pessoas santas. Boa associação é a nossa maior riqueza para alcançar a meta suprema. “

2. Srila Gurudeva no livro Reflexões Douradas

Śrīla Rūpa Goswāmī elencou sessenta e quatro tipos de serviços no Śrī Bhakti-rasāmṛta-sindhu. Sriman Mahāprabhu deixou, de forma concisa, somente cinco.

sādhu-saṅga, nāma-saṅkīrtana, bhāgavat-śravana

mathurā-vāsa, śrī-mūrtira śraddhāya sevana
sakala sādhana śreṣṭha ei pañcha aṅga

Devemos nos engajar em todos os diferentes tipos de serviço: pregação, glorificação ao Senhor Hari, ao Guru e ao Vaishnava; serviço no Templo e aos devotos; realizar parikramā (peregrinação) aos três principais Dhāms sagrados: Vṛndāvan, Jaganatha Purī, e Nabadwīp; e, imprimir e distribuir livros de glorificação a Śrī Guru Gaurāṅga Gāndharvā Govindasundar Jīu. Guru significa a glorificação ao Divino Mestre e devemos glorificar também os Vaishnavas. Durante este ano podemos (devemos) publicar vários livros dentro dessas (nessas) linhas. Temos também grande ambição em posterior publicação (distribuição) em todo mundo.

3. Srila Sridhar Maharaj no Satisfação Interior

Neste trecho, Srila Sukadeva Goswami explica que um instante é suficiente para resolver todos os problemas da uma vida, desde que devidamente associado em sādhu-saṅga. A todo custo, tente buscar a oportunidade de estar em sādhu-saṅga, a associação com o agente do Senhor Krishna. Qual é a necessidade de viver por eras e eras, se estamos inconscientes do nosso próprio interesse? Um momento utilizado apropriadamente é suficiente para resolver todos os problemas das nossas vidas, pelos os quais estamos eternamente vagando neste plano.

4. Srila Gurudeva no Verdade Revelada

Não tente imitar o que os sādhus fazem. O sādhu (a pessoa santa, o sábio) poderá fazer algo que seja útil para alguém que esteja em um estágio mais elevado, mas pode não ser útil para alguém que esteja em um estágio inferior. Sadhu-sanga significa tentar praticar a nossa vida espiritual sob a orientação/guia de um sādhu. Sadhu-sanga significa seguir as instruções dadas pelo sādhu, o que não significa tentar imitar o seu comportamento.