Śrī Śrī Jagannāthāṣṭakam

Jagannath-pata-chitra

A seguir, uma tradução do Śrī Śrī Jagannāthāṣṭakam publicada na segunda edição do Śrī Gauḍīya-gītāñjali por Śrīla Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswāmī Mahārāj. O texto foi composto por Śrīpād Śaṅkar Āchārya na métrica de dezessete sílabas conhecida como Śikhariṇī e foi recitado por Śrī Chaitanya Mahāprabhu perante o Senhor Jagannāth.
শ্রীশ্রীজগন্নাথাষ্টকম্
Śrī Śrī Jagannāthāṣṭakam
শ্রীশ্রীজগন্নাথদেবায় নমঃ।
śrī-śrī-jagannātha-devāya namaḥ
Reverência a Śrī Śrī Jagannāthdev

Śrī Bhakti Lalitā DD cantando
কালিন্দীতট কালিন্দীতট-বিপিনসঙ্গীত-তরলো
বদনকমলাস্বাদ-বদনকমলাস্বাদ-মধুপঃ।
শম্ভু-শম্ভু-ব্রহ্মামরপতি-গণেশার্চ্চিতপদো
জগন্নাথঃ স্বামী নয়নপথগামী ভবতু মে ॥১॥
kadhachit kālindī-taṭa-vipina-saṅgīta-taralo
mudābhīrī-nārī-vadana-kamalāsvāda-madhupaḥ
ramā-śambhu-brahmāmara-pati-gaṇeśārchita-pado
jagannāthaḥ svāmī nayana-patha-gāmī bhavatu me [1]
kadāchit–Às vezes taralaḥ–balançando saṅgīta–com a canção vipina–nas florestas, taṭa–nas margens kālindī–do Yamunā, [Ele é a] mudā–alegre madhupaḥ–abelha (lit. ‘bebedor de néctar’) āsvada–saboreando vadana–[as] faces kamala–de lótus ābhīrī–das vaqueirinhas nārī–mulheres, [enquanto Seus] padaḥ–pés [são] archita–adorados ramā–por Lakṣmī, śambhu–Śiva, brahmā–Brahmā, pati–o rei amara–dos imortais (Indra), [e] gaṇeśa–Gaṇeśa. [Que o] svāmī–Senhor jagannāthaḥ–Jagannāth bhavatu–se torne gāmī–um viajante [no] patha–caminho [de] me–meus nayana–olhos. [1]
Às vezes, balançando ao som de uma canção nas florestas, nas margens do Yamunā, Ele é a alegre abelha saboreando os rostos de lótus das mulheres vaqueirinhas enquanto Seus pés são adorados por Lakṣmī, Śiva, Brahmā, Indra e Gaṇeśa. Que Jagannāth Swāmī apareça diante dos meus olhos.
saṅgīta-taralo: “Balançando ao som musical.” Algumas versões do texto têm saṅgītaka-ravo, “Cantando (ravaḥ) em meio ao concerto (saṅgītaka)”.
ভুজে সব্যে বেণুং শিরসি শিখিপিচ্ছং কটিতটে
সহচর নেত্রান্তে সহচর-কটাক্ষং বিদধতে।
বৃন্দাবন শ্রীমদ্ বৃন্দাবন-বসতি-লীলাপরিচয়ো
জগন্নাথঃ স্বামী নয়নপথগামী ভবতু মে ॥২॥
bhuje savye veṇuṁ śirasi śikhi-pichchhaṁ kaṭi-taṭe
dukūlaṁ netrānte sahachara-kaṭākṣaṁ vidadhate
sadā śrīmad-vṛndāvana-vasati-līlā-parichayo
jagannāthaḥ svāmī nayana-patha-gāmī bhavatu me [2]
[Com] veṇum–a flauta bhuje–em [Sua] mão savye–esquerda, pichchham–uma pena śikhi–[de] pavão śirasi–em [Sua] cabeça, dukūlam–roupa fina kaṭi-taṭe–em volta [de Seus] quadris, vidadhate–Ele lança kaṭākṣam–olhares longos de lado, ante–dos cantos netra–de [Seus] olhos sahachara–para [Seus] companheiros [ enquanto Ele está] sadā–continuamente parichayaḥ–na prática dos līlā–Passatempos [na] śrīmat–bela vasati–morada vṛndāvana–de Vṛndāvan. [Que o] svāmī–Senhor jagannāthaḥ–Jagannāth bhavatu–torne-se gāmī–um viajante [no] patha–caminho [de] me–meus nayana–olhos. [2]
Com a flauta na mão esquerda, uma pena de pavão na cabeça e um fino tecido em volta dos quadris, Ele lança olhares longos e laterais dos cantos dos olhos para Seus associados, enquanto se envolve continuamente nos Passatempos na bela morada de Vṛndāvan. Que Jagannāth Swāmī apareça diante dos meus olhos.
কনক কনক-রুচিরে নীলশিখরে
সহজ প্রাসাদান্তঃ সহজ-বলভদ্রেণ বলিনা।
সুভদ্রা-মধ্যস্থঃ সকল-সুর-সেবাবসরদো
জগন্নাথঃ স্বামী নয়নপথগামী ভবতু মে ॥৩॥
mahāmbhodhes tīre kanaka-ruchire nīla-śikhare
vasan prāsādāntaḥ sahaja-balabhadreṇa balinā
subhadrā-madhyasthaḥ sakala-sura-sevāvasarado
jagannāthaḥ svāmī nayana-patha-gāmī bhavatu me [3]
vasat–Residindo tīre–à margem mahā–do grande ambhodheḥ–oceano [no topo da] śikhare–montanha nīla–azul [de] ruchire–brilho kanaka–dourado antaḥ–dentro [de Seu] prāsāda–palácio balinā–com [Seu] poderoso sahaja–irmão balabhadreṇa–Balabhadra [e] subhadrā–Subhadrā madhyasthaḥ–entre [Eles, que o] svāmī–Senhor jagannāthaḥ–Jagannāth, avasaradaḥ–o doador da oportunidade sevā–de serviço sakala–a todos os sura–os deuses, bhavatu–torne-se gami–um viajante [no] patha–o caminho [de] me–meus nayana–olhos. [3]
Residindo à margem do grande oceano, no topo da montanha azul de brilho dourado, dentro de Seu palácio ao lado de Seu poderoso irmão Balabhadra, com Subhadrā entre Eles, que Jagannāth Swāmī, o doador da oportunidade de servir a todos os deuses, apareça diante de meus olhos .
কৃপা-পারাবারঃ সজল-জলদ-শ্রেণি-রুচিরো
রমা-বাণী-রামঃ স্ফুরদমল-পঙ্কেরুহ-মুখঃ।
সুরেন্দ্রৈরারাধ্যঃ শ্রুতিগণশিখা-গীতচরিতো
জগন্নাথঃ স্বামী নয়নপথগামী ভবতু মে ॥৪॥
kṛpā-pārāvāraḥ sajala-jalada-śreṇi-ruchiro
ramā-vāṇī-rāmaḥ sphurad-amala-paṅkeruha-mukhaḥ
surendrair ārādhyaḥ śruti-gaṇa-śikhā-gīta-charito
jagannāthaḥ svāmī nayana-patha-gāmī bhavatu me [4]
[Ele é um] pārāvāraḥ–oceano kṛpā–de misericórdia, [tem] ruchiraḥ–o brilho śreṇi–de uma fileira sajala-jalada–de nuvens de chuva, [é] rāmaḥ–o prazer ramā–de Lakṣmī [e] vāṇī–Saraswatī, [ tem uma] mukhaḥ-face [de] paṅkeruha-lótus amala-imaculada, sphurat-brilhante, [e é] ārādhyaḥ–o objeto de adoração indraiḥ–do maior sura–dos deuses, [e Sua] charitaḥ-glória [é] gīta-cantada śikhā–pelo melhor śruti-gaṇa–dos Vedas. [Que o] svāmī–Senhor jagannāthaḥ–Jagannāth bhavatu–torne-se gāmī–um viajante [no] patha–caminho [de] me–meus nayana–olhos. [4]
Ele é um oceano de misericórdia, tem o brilho de uma fileira de nuvens de chuva, é o deleite de Lakṣmī e Saraswatī, e tem um rosto de lótus imaculado e brilhante; Ele é o objeto de adoração do maior dos deuses e Sua glória é cantada pelas melhores escrituras. Que Jagannāth Swāmī apareça diante dos meus olhos.
মিলিত গচ্ছন্ পথি মিলিত-ভূদেব-পটলৈঃ
প্রাদুর্ভাবং-প্রাদুর্ভাবং প্রতিপদমুপাকর্ণ্য সদয়ঃ।
সকল সকল-জগতাং সিন্ধু-সদয়ো
জগন্নাথঃ স্বামী নয়নপথগামী ভবতু মে ॥৫॥

rathārūḍho gachchhan pathi milita-bhūdeva-paṭalaiḥ
stuti-prādurbhāvaṁ prati-padam upākarṇya sadayaḥ
dayā-sindhur bandhuḥ sakala-jagatāṁ sindhu-sadayo
jagannāthaḥ svāmī nayana-patha-gāmī bhavatu me [5]
gachchhan–Enquanto Ele prossegue pathi–ao longo do caminho ārūḍhaḥ–montado ratha–no topo [de Sua] carruagem [e] upākarṇya–escuta [os] stuti–louvores prādurbhāvam–manifestados paṭalaiḥ–pelas multidões milita–reunidos deva–deuses bhū–da Terra, [Ele é] sadaya–gracioso prati–a cada padam-passo . [Ele é] sindhuḥ–um oceano dayā–de graça, sadaya–gracioso sindhu–com o oceano, [e] bandhuḥ–o amigo sakala–de todo o jagatām-mundo . [Que o] svāmī–Senhor jagannāthaḥ–Jagannāth bhavatu–torne-se gāmī–um viajante [no] patha–caminho [de] me–meus nayana–olhos. [5]
Prosseguindo ao longo do caminho, montado em cima de Sua carruagem, Ele ouve as oferendas de louvor das multidões de deuses da Terra reunidos (brāhmaṇs). Ele é gracioso a cada passo, é um oceano de graça, é gracioso com o oceano e é amigo do mundo inteiro. Que Jagannāth Swāmī apareça diante dos meus olhos.
sindhu-sadayo: “Gracioso com o oceano”. Isso se refere ao fato de o Senhor Jagannāth ter aceitado Sua residência e se apresentar em Passatempos nas margens do oceano.

Algumas versões do texto têm sindhu-sutayā: “Junto com a filha (sutayā) do oceano (sindhu)”, significando junto com Lakṣmī Devī.
paraṁbrahmāpīḍaḥ kuvalaya-dalotphulla-nayano
nivāsī nīlādrau nihita-charaṇo ’nanta-śirasi
rasānandī rādhā-sarasa-vapur-āliṅgana-sukho
jagannāthaḥ svāmī nayana-patha-gāmī bhavatu me [6]
[Ele é] āpīḍaḥ–a joia da coroa paraṁbrahma–da realidade absoluta, [e Seus] nayanaḥ–olhos [se assemelham] dala–às pétalas [de uma] kuvalaya–lótus utphulla–completamente desabrochada. [Ele é] nivāsī–um residente [das] adrau–montanhas nīla–azuis [e] nihita–coloca [Seus] charaṇaḥ–pés śirasi–sobre a cabeça ananta–de Ananta. [Ele] ānandī–tem prazer rasa–em rasa [e se] sukhaḥ–deleita āliṅgana–com o abraço [da] vapuḥ–figura sarasa–encantadora rādhā–de Śrī Rādhā. [Que] svāmī–o Senhor jagannāthaḥ–Jagannāth bhavatu–se torne gāmī–um viajante [no] patha–caminho [dos] me–meus nayana–olhos. [6]
Ele é a joia da coroa da realidade absoluta, e Seus olhos se assemelham às pétalas de uma lótus totalmente florida. Ele é um residente das montanhas azuis e coloca Seus pés no topo da cabeça de Ananta. Ele sente prazer em rasa e se deleita com o abraço da figura encantadora de Śrī Rādhā. Que Jagannāth Swāmī apareça diante dos meus olhos.
ন বৈ যাচে রাজ্যং ন চ কনক-মাণিক্য-বিভবং
ন যাচেঽহং রম্যাং সকল-জন-কাম্যাং বরবধূম্ ।
সদা কালে কালে প্রমথ-পতিনা গীতচরিতো
জগন্নাথঃ স্বামী নয়নপথগামী ভবতু মে ॥৭॥
na vai yāche rājyaṁ na cha kanaka-māṇikya-vibhavaṁ
na yāche ’haṁ ramyāṁ sakala-jana-kāmyāṁ vara-vadhūm
sadā kāle kāle pramatha-patinā gīta-charito
jagannāthaḥ svāmī nayana-patha-gāmī bhavatu me [7]
yāche–Eu rezo na vai–nem rājyam–por um reino, na cha–nem kanaka–por ouro, māṇikya–joias, [e outras] vibhavam–riquezas. aham–Eu yāche na–não oro ramyām–por uma bela [e] vara–desejável vadhūm–esposa [como] kāmyām–sonhado por sakala–todos [os] jana–homens. [Que] svāmī–o Senhor jagannāthaḥ–Jagannāth, [cuja] charitaḥ–glória[é] sadā–sempre gīta–cantada kāle–de momento kāle–a momento patinā–pelo senhor pramatha–dos Pramathas (uma classe de servos experts em dharma e nas artes), bhavatu–se torne gāmī–um viajante [no] patha–caminho [de] me–meus nayana–olhos. [7]
Eu não oro nem por um reino nem por ouro, jóias e outras riquezas. Eu não rezo por uma esposa bonita e desejável, como todos os homens sonham. Que Jagannāth Swāmī, cuja glória é sempre cantada de momento a momento pelo Senhor Śiva, apareça diante de meus olhos.
হর ত্বং সংসারং দ্রুততরমসারং সুরপতে!
হর ত্বং পাপানাং বিততিমপরাং যাদবপতে! ।
অহো দীনেঽনাথে নিহিতচরণো নিশ্চিতমিদং
জগন্নাথঃ স্বামী নয়নপথগামী ভবতু মে ॥৮॥
hara tvaṁ saṁsāraṁ drutataram asāraṁ sura-pate!
hara tvaṁ pāpānāṁ vitatim aparāṁ yādava-pate!
aho dīne ‘nāthe nihita-charaṇo niśchitam idaṁ
jagannāthaḥ svāmī nayana-patha-gāmī bhavatu me [8]
pate–Ó Senhor sura!–dos sábios! [Que] tvam–Você [por favor] drutataram–rapidamente hara–tire [esta] asāram–vazia saṁsāram–existência mundana. pate-Ó senhor yādava–dos Yadus! [Que] tvam–Você [por favor] hara–tire [minha] aparām–infindável vitatim–profusão pāpānām–de pecados. aho–Oh! [Você é conhecido por ter] nihita–concedido [Seus] charaṇaḥ–pés aos pobres [e] anāthe-desamparados; idam–isto é niśchitam-certo. [Que o] svāmī–Senhor jagannāthaḥ–Jagannāth bhavatu–se torne gāmī–um viajante [no] patha–caminho [de] me–meus nayana–olhos. [8]
Ó Senhor dos sábios! Por favor, leve embora rapidamente esta vazia existência mundana. Ó Senhor dos Yadus! Por favor, leve embora minha interminável profusão de pecados. Oh! Você concede Seus pés aos pobres e desamparados. Isso é certo. Que Jagannāth Swāmī apareça diante dos meus olhos.
জগন্নাথাষ্টকং পুণ্যং যঃ পঠেৎ প্রযতঃ শুচিঃ।
বিশুদ্ধাত্মা বিশুদ্ধাত্মা বিষ্ণুলোকং স গচ্ছতি ॥৯॥
jagannāthāṣṭakaṁ puṇyaṁ yaḥ paṭhet prayataḥ śuchiḥ
sarva-pāpa-viśuddhātmā viṣṇu-lokaṁ sa gachchhati [9]
saḥ–Aquele que śuchiḥ–puramente [e] prayataḥ–devotamente paṭhet–recita [este] puṇyam–auspicioso aṣṭakam–poema de oito versos jagannātha–sobre o Senhor Jagannāth, [ se torna] ātmā–uma alma viśuddha–completamente purificada sarva–de todo pāpa–pecado [e] gachchhati–vai para a lokam–morada de viṣṇu-Viṣṇu. [9]
Aquele que puramente e devotadamente recita este auspicioso Jagannāthāṣṭakam se torna completamente purificado de todo pecado e vai para a morada de Viṣṇu.
শ্রীগৌরচন্দ্র-মুখপদ্ম-বিনির্গতং শ্রীশ্রীজগন্নাথাষ্টকং সম্পূর্ণম্।
śrī-gaurachandra-mukha-padma-vinirgataṁ śrī-śrī-jagannāthāṣṭakaṁ sampūrṇam
Assim termina o Śrī Śrī Jagannāthāṣṭakam que foi proferido pela boca de lótus de Śrī Gaurachandra.

*Artigo e imagem originalmente publicados em: https://premadharma.org/sri-sri-jagannathastakam/

O Milagre do Telefone …. Que Voltou a Falar!

Introdução: Milagre e espiritualidade são temas geralmente conectados, para a maioria das pessoas está relacionado com saúde, algum tipo de ganho inesperado. Este artigo conta um dos inúmeros milagres que Srila Govinda Maharaj participou e demonstra a beleza do milagre que promove a conexão com Deus. Suas histórias são sempre maravilhosas de ouvir mas, talvez em uma época em que muitos corações pedem em uníssono por mais milagres de serviço, essa história possa apontar mais uma vez que nada é impossível no serviço ao Divino. Clique aqui para conhecer outras histórias de milagre.

Por Sripad Bhakti Ranjan Madhusudan Maharaj. Tradução: Devayani Devi Dasi

Espere o inesperado!  Às vezes era isso que se sentia ao estar na companhia de Srila Gurudev, Sua Divina Graça Srila Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswami Maharaj.   Em todo o mundo, devotos testemunharam vários eventos milagrosos inesperados.   Até mesmo Srila Govinda Maharaj comentou em várias ocasiões que muitos milagres ocorreram em sua vida.   À seguir encontra-se o relato de um desses milagres.

Era o ano de 1996 e Srila Govinda Maharaj encontrava-se sentado em sua varanda em Nabadwip.   Isso foi antes da reforma da varanda, quando o espaço ainda era pequeno, o que contribuia para o clima intimista dos darshans com Sua Divina Graça.

Isso foi antes de e-mail e Internet.  A comunicação entre Srila Govinda Maharaj e os devotos ocorria principalmente por meio de visitas ou cartas.   Ocasionalmente, uma ligação telefônica conseguia ser completada.  Telefones celulares não existiam.  Os telefones eram de linha fixa e nem sempre confiáveis e não era incomum que o telefone de Nabadwip ficasse mudo por dias seguidos.

Havia apenas alguns poucos devotos com Srila Govinda Maharaj naquela tarde.  Eu estava com Aravinda Lochan Prabhu, Jagadananda Prabhu, Swaranangii Devi e alguns outros.   O telefone não funcionava já havia pelo menos uma semana.  Você não conseguia fazer ligações nem recebê-las.   Naquela tarde, Srila Govinda Maharaj tirou o telefone do gancho para checar se havia sinal.   Ele estava apenas checando o telefone.

De repende, Srila Govinda Maharaj escutou uma voz no telefone.  O telefone estava mudo mas havia uma voz falando com Srila Govinda Maharaj.  Falando através do telefone, estava Krishna Vallabha Prabhu, um Vaishnava Brajabasi sênior de Vrindavan.

Krishna Vallabha Prabhu estava falando a Srila Govinda Maharaj sobre um terreno em Vrindavan que acabara de entrar no mercado que ficava ao lado do Templo Sri Sri Radha Damodar.   Esse terreno havia sido parte de uma briga judicial mas agora a questão havia sido resolvida e ele poderia ser vendido.  Ele disse a Srila Govinda Maharaj que todos queriam pôr as mãos naquele pedaço de terra.   A entrada dessa propriedade no mercado estava sendo esperada por muitas pessoas.   Muitos desejavam comprar o terreno para negócios ou para obter prestigio.  Mas Krishna Vallabha Prabhu explicou:  “Nós queremos que você compre esse terreno!  Nós queremos que essa terra fique protegida espiritualmente.  Nós queremos que ela seja cuidada de forma adequada. É um lugar muito especial.”

Krishna Vallabha Prabhu continuou explicando que ele só conseguiria reservar o terreno para Srila Gurudev por alguns dias antes que o mesmo fosse oferecido para outros compradores.  O dinheiro precisaria ser entregue  e os papéis assinados e registrados em até 15 dias.

O terreno já havia sido avaliado, porém havia pessoas dispostas a pagar muito mais.  Mas Krishna Vallabha Prabhu assegurou Srila Govinda Maharaj que ele só precisaria pagar o valor da  avaliação.   Os vendedores não estavam interessados em obter muito dinheiro, o mais importante era que o terreno ficasse em boas mãos.   E é por essa razão que eles gostariam que Srila Govinda Maharaj comprasse o pedaço de terra.  Inclusive, Krishna Vallabha Prabhu disse que ele mesmo daria o dinheiro caso fosse difícil para Srila Govinda Maharaj conseguí-lo.  Eles estavam muito ansiosos para que Srila Govinda Maharaj tomasse posse do terreno!

Srila Govinda Maharaj recebeu esse único telefonema e todos os pormenores foram resolvido em poucos minutos.  Nós que estávamos em volta não entendemos muito bem o que se passava.  Nós observamos que Srila Govinda Maharaj tinha ficado bastante sério.  Quando ele desligou o telefone, ele estava chocado.  Ele então ficou ainda mais chocado ao perceber que após desligar o telefone e levantar o bocal novamente, o telefone voltou a ficar mudo.  O telefone estava mudo antes e depois do importante telefonema, e o aparelho nunca tocou.  O rosto de Srila Govinda Maharaj era de total surpresa!

“Oray Baba!” Srila Govinda Maharaj iria dizer mais tarde “Foi um milagre! O telefone mudo falou comigo e ordenou: Envie um homem para adquirir o terreno.”

Sempre que acontecia algo extraordinário, Srila Govinda Maharaj buscava entender qual era a mensagem que estava sendo enviada do plano superior.   Muitas vezes outros interpretavam os fatos como coincidência ou como um evento feliz ou infeliz.   Mas Srila Govinda Maharaj sempre buscava entender qual era o desejo do Senhor por detrás de cada incidente.

Srila Govinda Maharaj entendeu claramente que o que aconteceu havia sido promovido pelo plano superior para que ele conseguisse assegurar o terreno.  Ele imediatamente tomou todas as providências necessárias.  Não havia tempo a perder.   No mesmo instante, ele enviou seu fiel associado Purnananda Prabhu de Nabawip para Vridavan para dar entrada na papelada.  Tudo foi feito dentro do prazo necessário e o terreno foi transferido para o nome da missão.

O que tinha de tão especial esse terreno?  As terras eram parte do Templo Sri Sri Radha Damodar.  Pode ser visto que ambos se encontram no mesmo terreno.   Existe um muro dividindo os dois, mas qual a importância de um muro?  Do ponto de vista espiritual é o mesmo terreno.   O Templo Sri Sri Radha Damodar é considerado do ponto de vista geográfico e espiritual, o centro de Vrindavan.  Na época do Senhor Chaitanya Mahaprabhu esse era o local onde todos os Goswamis e outros grandes santos Vaishnava congregavam.   Agora ele abriga o Samadhi Mandirs de Srila Rupa Goswami, Srila Jiva Goswami, Srila Bhurgarva Goswami e Srila Krishna Das Kaviraj.   Srila Govinda Maharaj sempre falava da grande honra que era poder servir a Srila Rupa Goswami e a seu próprio Guru Maharaj, Srila Bhakti Rakshak Sridhar Dev-Goswami Maharaj através da proteção e do cuidado com essa propriedade.

Srila Govinda Maharaj via essa propriedade como um lugar para servir a Srila Sridhar Maharaj, sendo esta uma representação completa de Srila Rupa Goswami, e também como um lugar para adorar Srila Sridhar Maharaj, perto de Srila Rupa Goswami mas honrado separadamente dos vários Pushpa Samadhis dentro do complexo do Templo Sri Sri Radha Damodar.

Em menos de um ano, a casa de hóspedes foi erguida para os devotos.   Logo após,  construiu-se um mandir para as Deidades.  Em Novembro de 1999, Srila Govinda Maharaj presidiu,  repleto de alegria, a instalação das Deidades Sri Sri Guru Gauranga Gandharva Rasabihari para acompanhar Sri Sri Radha Rasabihari,  as Deidades da antiga Casa Vrindavan que veio com a propriedade.   Depois a murti de Srila Sridhar Maharaj foi também instalada.  Srila Govinda Maharaj entendeu que essa propriedade especial era o lugar de Guru Maharaj and que ela veio até ele a serviço de seu Guru Maharaj, Srila Bhakti Rakshak Sridhar Dev-Goswami Maharaj.