Os milagres de Srila Govinda Maharaj no Brasil

Trivikrama Maharaj

Por Srila Bhakti Vijay Trivikrama Maharaj, traduzido ao português por Devayani D.D.

Introdução:

Para celebrar o Vyasa Puja de Srila Govinda Maharaj em 2013, Srila Janardan Maharaj e os devotos dos Estados Unidos convidaram diversas personalidades que conviveram com Srila Gurudeva para compartilhar as histórias de seus milagres. Este relato foi feito por Srila Trivikrama Maharaj. Você pode encontrar este e outros artigos originais da série em ingles no site: http://www.sevaashram.net/3893/govinda-maharaj-miracles-in-brazil/

Eu fico muito feliz em falar da época em que Srila Gurudeva, Srila Govinda Maharaj, esteve no Ashram no Brasil.  Srila Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswami Maharaj veio nos visitar no nosso Ashram em Setembro de 1998.

Para mim, o primeiro milagre, que me foi relatado por Sripad Tapasvi Maharaj (na época ele era conhecido como Bhuvana Mohan Prabhu), ocorreu quando ele levava Srila Govinda Maharaj em seu carro do aeroporto para o Ashram.  Eu estava diringindo outro veículo, que carregava as bagagens.

Após sairmos da rodovia principal, entramos em uma estrada rural que serpenteava através de varias montanhas cobertas de mata    Havia um ponto na estrada em que podia-se vislumbrar a vista panorâmica das montanhas, do vale e do rio.   Era ali que o Ashram ficava.  Havia muitas árvores e uma floresta densa.  Poucas pessoas viviam naquela região.  Bhuvana Mohan Prabhu parou o carro para que Srila Govinda Maharaj pudesse apreciar a bela vista, onde o Ashram estava situado.

cropped-topo-site-ashram21.jpg

Srila Govinda Maharaj observou as florestas, as montanhas e ficou em silêncio por alguns momentos.  Ao retornar do seu estado meditativo, ele disse a Bhuvana Mohan Prabhu que toda a natureza, todas as entidades vivas daquele lugar, as árvores, os pássaros, os animais, todos, rezavam para a ele para receber a Consciência de Krishna.  Todos sentiam a necessidade e o desejo de alcançar a Consciência de Krishna. Srila Govinda Maharaj podia escutar suas preces e compreender seus corações.  Srila Govinda Maharaj nos explicou mais tarde que assim como um rádio consegue captar ondas sonoras, o Senhor Krishna lhe concedeu habilidades especiais para perceber essas coisas.

Esse foi o primeiro milagre!

Eu notei que todo o ambiente havia mudado.  Vários sinais auspiciosos se manifestaram.   Foi o mesmo que aconteceu com os meus pais, que não tinham nenhum interesse na Consciência de Krishna.   Quando Srila Govinda Maharaj se aproximou do portão da nossa propriedade, eu vi minha mãe pular de alegria e minha mãe já não era uma mulher jovem.  Minha mãe estava pulando e dizendo “Glória a Gurudeva! Glória a Gurudeva!”  No passado, ela já havia conhecido muitos devotos e saniasis, mas nunca agiu dessa forma. Ela estava enlouquecida! O que havia acontecido com ela?

Na chegada de Gurudeva, meu pai imediatamente se dirigiu para os aposentos de Srila Govinda Maharaj para dar-lhe as boas vindas.  Srila Govinda Maharaj sempre foi muito afetuoso.  Ele abraçou meu pai e meu pai pôs-se a chorar.  Meu pai é um homem muito machão, ao estilo de Chuck Norris ou John Wayne, e ele nunca chorava.  Mas ele estava chorando como um bebê! Meu pai se apaixonou imediatamente por Srila Govinda Maharaj.  O afeto de Gurudeva derreteu seu coração!

Esse foi o segundo milagre!

Até mesmo as pessoas locais começaram a fazer peregrinações espirituais ao Ashram.  A maioria era cristã e nunca se interessara pelas nossas atividades.  Mas, de repente, eles queriam conhecer Srila Govinda Maharaj. Eles queriam vir nos visitar. Foi uma sensação muito forte e poderosa.

Eu lembro que um sentimento intenso reinava na época.  Eu tinha a impressão que todos nós fazíamos parte dos passatempos de Mahaprabhu.   Nós estávamos vivendo no Ashram, Srila Govinda Maharaj estava lá, a divindade de Mahaprabhu de Srila Govinda Maharaj estava lá.  Toda a atmosfera era espiritual.  Foi uma experiência incrível para todos nós.

E aqui está a história do terceiro milagre….

Um dia eu estava comendo prasadam com meu amigo Nagendra Prabhu, discípulo de Srila Sridhar Maharaj.  Ele é uma pessoa muito bacana, com alguma ascendencia Japonesa.  Ele é sempre muito honesto e direto nas suas interações com as pessoas.  Ele me faz pensar em todas as boas qualidades de um samurai.  Nós tínhamos uma boa amizade.  Ele estava no Ashram acompanhado da esposa e dos dois filhos.  Os meninos estavam sempre se metendo em encrencas, como todos meninos fazem.

Enquanto nós compartilhávamos da prasadam, sua esposa cozinhava em outro aposento.  O menino mais velho foi até sua mãe e disse: “Mamãe, mamãe, venha ver o Singha.”  Esse era o nome de seu irmão mais novo.  Ela respondeu: “Agora não, estou ocupada, me deixe trabalhar.  Eu vou vê-lo mais tarde.”  Alguns minutos mais tarde o menino  voltou: “Mamãe venha ver o Singha.” Isso continuou por pelo menos 15 minutos.  Finalmente ele disse para sua mãe: “Venha ver o Singha, ele está nadando.”  Imediatamente sua mãe entendeu que algo estava errado pois Singha não sabia nadar.  Ela largou tudo e correu.  O que ela avistou a seguir foi o pior pesadelo que um pai ou uma mãe podem imaginar. O coração dela gelou. Seu filho estava deitado no fundo de um pequeno lago, imóvel.  A água era transparente e ela podia ver que ele não se movia.  Ele devia estar lá por pelo menos 15 minutos.

Nós estávamos em outro aposento, ainda comendo prasadam quando alguém entrou e disse de forma agitada: “Nagendra, venha agora, seu filho se afogou!” Nós corremos o mais rápido possível.  O menino já havia sido removido do lago e estava no chão do escritório. Nós estávamos paralisados de medo! Eu pude perceber imediatamente que o menino estava morto. Seus olhos estavam sem vida, seus lábios já tinham ficado roxo e cinza…ele estava completamente sem vida.  Eu já havia visto algumas pessoas mortas antes e não havia dúvida para mim que sua vida havia acabado.

Todos estávamos chocados!  Vários devotos vieram ver o que estava acontecendo e naquele momento Ananya Bhakti Devi apareceu.  Ela é dentista e possui treinamento médico, logo ela conhecia as práticas de primeiros socorros.   Como nós estávamos no escritório, não sabíamos  o que se passava com Srila Govinda Maharaj.   Ele se encontrava em seus aposentos em outro prédio.  Rohini Shakti Devi começou a cantar alto o Mahamantra e logo todos os devotos estavam acompanhando-a:  Hare Krishna, Hare Krishna, Krishna Krishna, Hare Hare, Hare Rama, Hare Rama, Rama Rama, Hare Hare!  Aí Ananya Bhakti Devi tomou controle da situação.  Ela instruiu  Nagendra Prabhu a massagear o coração do menino enquanto ela soprava em sua boca. Assim ela prestou os primeiros socorros para a criança.

Nesse momento alguém foi avisar Srila Govinda Maharaj sobre o que estava acontecendo.  Eles lhe disseram:  “Srila Gurudeva, Srila Gurudeva, um menino se afogou, ele está morto!” Srila Govinda Maharaj ficou calado, seus olhos se alteraram de forma mística e parecia que ele havia deixado seu corpo.  Eles podiam ver que Srila Govinda Maharaj tinha partido para um plano mais elevado.  Em sua meditação, Srila Govinda Maharaj começou a rezar para o Senhor Krishna: “Eles organizaram esse festival para mim, para receber todos esses convidados.  Porque o Senhor está fazendo isso? Eles deram tudo para o Senhor – esse Ashram, tudo o que eles possuem, seus corações – tudo! O que devo dizer a eles agora? Por favor, por favor, nos devolva o menino.”

Nós estávamos com o menino, logo não sabíamos o que estava acontecendo com Srila Govinda Maharaj.  No mesmo momento em que Srila Govinda Maharaj estava rezando, eles continuavam a prestar os primeiros socorros.  De repente o menino começou a tossir e expelir água!  Ele estava inconsciente mas soltou um grito.  Uma onda coletiva de alívio tomou conta do grupo de devotos.  Jaya, Jaya Gurudeva!

Imediatamente, nós pegamos um carro para levá-lo ao hospital.  Mas o primeiro hospital em que paramos se recusou a recebê-lo!  Eles achavam que o menino iria morrer e que não poderiam ajudá-lo.  Desesperados, nós seguimos para outro hospital, a duas horas de viagem.   Quando chegamos lá, eles puseram um tubo através de sua boca e sugaram o resto da água que permanecia em seus pulmões.  O menino descansou e estava respirando bem.  Em dois dias, ele já estava chutando as enfermeiras e os médicos e estava ansioso para sair dali!

Não houve nenhum dano ao cérebro, o que é comum quando o cérebro é privado de oxigênio, mesmo que por poucos minutos, imagine então 15 minutos!  O menino cresceu e tornou-se um jovem muito doce.  Ele não teve nenhuma lesão permanente, o único efeito colateral é que agora ele tem medo de água!

Srila Govinda Maharaj, sendo um Vaishnava genuinamente humilde, nunca tentou levar nenhum crédito por salvar o menino.  Ao contrário, ele deu todo o crédito para Ananya Bhakti Devi.  Mas Ananya Bhakti afirma que foi Srila Govinda Maharaj que salvou a criança!  Ela diz que foi a misericórdia e as orações de Gurudeva que o salvaram.  E Srila Govinda Maharaj dizia, “Não, não, você salvou o menino, você é médica e você salvou a criança.”  Assim, todos ficaram muito felizes e aliviados e o festival pode continuar.

rohini e ananyabhakti gurudeva

Ananya Bhakti DD e Rohini Shakti DD com Srila Gurudeva.

Aparecimento de Srimati Radharani

Śrī Rādhāṣtamī, 2004. Por Śrīla Bhkati Sudhir Goswāmī Mahārāj. Soquel, USA.
Sripad_BhaktiSudhir_Goswami_Maharaja_ki_Jaya
Porque Śrīla Gurudev nos pediu para falar algo devemos falar. Mas isso não quer dizer que sabemos qualquer coisa sobre esse assunto, mas escutando algo dele, de Śrīla Guru Mahārāj e de nosso Guru-varga, podemos nos esforçar em dizer algo.
Śrīla Guru Mahārāj explicando o Śrī Śrī Gurvāṣṭakam de Śrīla Viśvanāth Chakravartī Ṭhākur, citou o verso:

sākṣād-dharitvena samasta-śāstrair
uktas tathā bhāvyata eva sadbhiḥ
kintu prabhor yaḥ priya eva tasya
vande guroḥ śrī-caraṇāravindam
[7]

[“Eu adoro os pés de lótus de Śrī Gurudev. Embora ele seja o amado servo do Senhor, todas as escrituras dizem, e todos os sādhus sentem, que ele é diretamente o próprio Senhor.”]

No começo de nossa relação com a consciência de Kṛṣṇa, estamos enamorados e focados em Kṛṣṇa, e nós não apreciamos tanto, ou compreendemos o devoto. Mas à medida que nossa visão fica mais refinada, e somos colocados sob a liderança de um servidor superior, então uma mudança irá ocorrer para Prabhu-priyā, aquele que é o mais querido de Kṛṣṇa.

Nós escutamos Śrīla Guru Mahārāj contar tantas vezes a história do Vraja Maṇḍal Parikramā, que quando Śrīla Saraswatī Ṭhākur e seu grupo chegaram ao Rādhā Kuṇḍa, um de seus discípulos, Paramānanda Prabhu percebeu que o Mahārāj de Bharatpur e sua família estavam prestando seus daṇḍavat em volta do Rādhā e do Śyām Kuṇḍa, e ele disse a Saraswatī Ṭhākur: “Eles têm tanta apreciação por Rādhārāṇī”, e ele estava surpreso com aquilo. Mas a resposta de Śrīla Saraswatī Ṭhākur foi mais surpreendente: “É, eles têm apreciação por ela, mas há uma grande diferença entre a concepção deles e a nossa; eles estão adorando Rādhārāṇī porque ela é querida de Kṛṣṇa. Kṛṣṇa está na posição principal, e ela, numa posição secundária. Mas em nossa consideração, Rādhārāṇī está na posição principal, e só por causa dela, nós temos alguma coisa com Kṛṣṇa. Então Ele está na posição secundária.”

Ele se revelou cem por cento servidor exclusivo de Rādhārāṇī na linha de Rādhā-dāsyam, como Śrīla Gurudev estava indicando ao citar o prayojan-tattva Āchārya, Śrīla Raghunāth Das Goswāmī. Ele indica qual a meta última dos Gauḍīya–vaiṣṇavas, e ele deu expressão a isso em sua oração. E Śrīla Guru Mahārāj disse que quando Śrīla Saraswatī Ṭhākur escutava essa oração, seu rosto ficava como o de um fantasma, ele se transformava. Apesar de sempre escutarmos que qualquer emoção que vinha, ele meticulosamente removia uma lágrima, ou que ele não dava vazão a qualquer emoção. Mas às vezes, ao cantar esta oração, ele chorava e soluçava descontroladamente. E Śrīla Guru Mahārāj fala que nela Śrīla Dās Goswāmī expressa nossa aspiração última.

āśā-bharair amṛta-sindhu mayaiḥ kathañchit
kālo mayāti-gamitaḥ kila sāmprataṁ hi
tan chet kṛpāṁ mayi vidhāsyasi naiva kiṁ me
prāṇair vraje na cha varoru bakāriṇāpi

[Vilāpa-kusumāñjaī:102]

E aqui não é só a posição dela que é indicada como suprema, mas por extrapolação podemos entender a posição de Śrī Guru, nosso Gurudev. […] A única coisa que está mantendo minha vida, é a aspiração pelo serviço aos seus pés de lótus. E nessa oração ele diz: esta aspiração mantém minha vida, sem a qual, se eu não tenho essa aspiração pelo serviço, então qual o valor da minha vida? E qual o valor daquilo que é mais valioso que minha própria vida? Então Vraja, Vṛndāvan , não têm nenhum sentido pra mim também. E aí ele diz, “eu sei que é uma coisa vergonhosa de dizer, mas até Kṛṣṇa não tem apelo para mim sem você.” Uma vez Śrīla Guru Mahārāj disse: “Kṛṣṇa é uma coisa pavorosa, bakāriṇāpi, sem você.

Então transferindo isso para o que é relevante e tangível para nós, sem Śrīla Gurudev e o serviço de seus pés de lótus, qual o significado da assim chamada consciência de Kṛṣṇa. Nós não temos acesso direto a essas coisas. Estamos aspirando pelo serviço, ao serviço do servo de Kṛṣṇa. E nós não nos vemos como devotos. […] E naquela canção, Chakravartī Ṭhākur diz: a mudança vai acontecer e nós vamos realmente entender que o vaiṣṇava é tudo. Tudo deve ser realizado aos pés de lótus de Śrī Guru e no serviço a estes pés de lótus. Estamos todos felizes por estar aqui celebrando o aparecimento da Ujjvala-rasa Āchārya, Śrīmatī Rādhārāṇī, de sua delegação personificada, Śrīla Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswāmī Mahārāj belamente enriquecido com as qualidades, e humor de serviço. E na verdade tudo brotou de seu foco exclusivo no serviço aos pés de lótus de seu Gurudev. Esse templo aqui, Śrīla Gurudev vai dar os créditos aos devotos, e claro, eles o merecem, mas se nós os perguntarmos, eles dirão que Śrīla Gurudev é a fonte de suas inspirações, a cadeira napoleônica!