A Revelação Depende de Seu Desejo

Śrīla Bhakti Rakak Śrīdhar Dev-Goswāmī Mahārāj descreve o destino abençoado de Śrīla Śrīnivās Āchārya. (24 de novembro de 1982)

Ouça o áudio aqui a partir dos 9 minutos e 52 segundos: http://scsmath.org/audio-org/821124_SSridharMj-GadadharDas_Srinivas_DhananjayaPandit_disap.mp3

Quando Śrīman Mahāprabhu estava em Purī, Padmanābha Bhaṭṭāchārya foi vê-lo com sua esposa. Mahāprabhu disse a ele que ele teria um filho que seria um grande devoto e seu nome seria Śrīnivās. Padmanabha Bhaṭṭāchārya voltou para casa e logo Śrīnivās nasceu, um menino lindo e um erudito natural. Padmanābha Bhaṭṭāchārya faleceu quando Śrīnivās era muito jovem. Naquele momento, Śrīnivās automaticamente pensou em Śrī Chaitanyadev e Nityānanda, e Seus Passatempos surgiram dentro dele.

Quando ele tinha cerca de quinze anos, Śrīnivās veio ver o local de nascimento de Śrī Chaitanyadev em Nabadwīp. Ele sentou-se perto da casa do Senhor em um ghāṭ no Ganges. Viṣṇu Priyā Devī chegou lá para se banhar naquele momento e encontrou este lindo menino. Ela viu que ele tinha algum tipo de semelhança com Mahāprabhu, mas que ele estava sentado lá sem saber de si mesmo e de sua vida. Viṣṇu Priyā Devī sentiu pena do menino, levou-o para sua casa e o alimentou.

Depois disso, Śrīnivās foi ao encontro de Mahāprabhu. Ele partiu para Purī e, quando chegou a três quartos do caminho, ouviu que Śrī Chaitanyadev havia deixado o mundo. O que ele deveria fazer? Ele foi em frente, e ele conheceu Gadādhar Paṇḍit no Templo de Toṭā Gopīnāth. Gadādhar Paṇḍit abraçou-o e disse: “Eu estive esperando por você, Śrīnivās. Meu Senhor ordenou que eu ensinasse  o Śrīmad Bhāgavatam a você. Você se tornará um palestrante sem precedentes e explicará o Bhāgavatam para toda a Bengal. Meu livro, no entanto, está meio lavado pelas lágrimas. Você não poderá lê-lo. Você precisará de um livro novo. Vá a Śrī Khaṇḍa, mencione meu nome, assegure uma cópia do Bhāgavatam e retorne. Então eu vou te ensinar.

Śrīnivās Āchārya voltou para Bengal, coletou uma cópia do Bhāgavatam de Śrī Khaṇḍa e novamente partiu para Purī. Quando chegou lá, ouviu que Gadādhar Paṇḍit havia partido. Ele ficou desapontado. Ele pensou: “Eu sou uma alma tão angustiada. Onde quer que eu vá, o objeto da minha busca é removido logo antes que eu chegue. Mahāprabhu e Gadādhar Paṇḍit me deram esperança, mas quem me ensinará o Bhāgavatam agora? Que malfadado destino eu tenho.” O que ele deveria fazer? Ele começou a ler o Bhāgavatam e, automaticamente, descobriu que tudo estava correndo para ele. O desejo de Gadādhar Paṇḍit estava ali.

Fonte: http://www.gaudiyadarshan.com/posts/revelation-is-his-will/

A Essência do Movimento Hare Kṛṣṇa


cropped-Srila-Govinda-Maharaj

Por Śrīla Bhakti Sundar Govinda Dev-Goswāmī Mahārāj, em 16 de novembro de 2004, em Caracas, Venezuela.

A religião da não inveja

Hoje estamos nos lembrando de nosso divino mestre Śrīla A.C. Bhaktivedānta Swāmī Prabhupād. Seu dia de desaparecimento é hoje. Ele nos deixou e deixou este mundo hoje em Vṛndāvan Dhām. Se Prabhupād não tivesse sido tão misericordioso conosco, não poderíamos conceber nossa vinda para o Ocidente. Este movimento mundial de Hari-nām-saṅkīrtan veio através de Prabhupād, e todos sabem disso. Atualmente, o mundo inteiro está inundado com o mahāmantra Hare Kṛṣṇa. As pessoas não sabem o que ‘Hare Kṛṣṇa’ significa, as pessoas não sabem o que é a consciência de Kṛṣṇa, mas elas sabem que estes são os ‘Hare Kṛṣṇas’.

O Śrīmad Bhāgavat diz que essa religião Hare Kṛṣṇa é akaitava, livre de engano e trapaça.

dharmaḥ projjhita-kaitavo ’tra paramo nirmatsarāṇāṁ satāṁ
vedyaṁ vāstavam atra vastu śivadaṁ tāpa-trayonmūlanam
śrīmad-bhāgavate mahā-muni-kṛte kiṁ vā parair īśvaraḥ
sadyo hṛdy avarudhyate ’tra kṛtibhiḥ śuśrūṣubhis tat-kṣaṇāt
(Śrīmad Bhāgavatam: 1.1.2)

[Aqui, o dharma mais elevado, no qual a trapaça é totalmente rejeitada, é dado aos sādhus que estão livres da inveja. Aqui, pode-se conhecer a Verdade Absoluta, que revela o bem maior e desarraiga as três misérias. Qual é a necessidade de alguma outra escritura além deste Śrīmad Bhāgavatam compilado pelo melhor dos sábios? Aqui, o Senhor é imediatamente ligado ao coração pelas almas afortunadas que desejam ouvi-lo desde o momento em que começam.”]

Este é o segundo verso do Śrīmad Bhāgavat: “Dharmaḥ projjhita-kaitavo: não há tendência de trapaça aqui”. Śrīla Bhakti Vinod Ṭhākur também disse muito corajosamente:

pṛthivīte yata kathā dharma-nāme chale
bhāgavata kahe saba paripūrṇa chhale

“No entanto, muitas religiões que vemos neste mundo, todas elas estão fazendo negócios de trapaça.” Essa é a declaração de Bhakti Vinod Ṭhākur. Eu não estou dizendo isso! Isto foi dito por Bhakti Vinod Ṭhākur e Prabhupād. O que Bhakti Vinod Ṭhākur contou e o que o Śrīmad Bhāgavat contou, também foi dito por Śrīla Prabhupād A.C. Bhaktivedānta Swāmī. Aqui não há hiṁsā: sem violência e sem trapaça. Nirmatsarāṇāṁ satāṁ: todos os devotos são muito humildes, muito tolerantes e dão honra aos devotos da principal Deidade adorável do Śrīmad Bhāgavat, Śrī Kṛṣṇa.

pṛthivīte yata kathā dharma-nāme chale
bhāgavata kahe saba paripūrṇa chhale

Este é o movimento Hare Kṛṣṇa. Este movimento foi organizado por Swāmī A.C. Bhaktivedānta Prabhupād. Ele tinha essa capacidade, ele tinha esse talento, e ele tinha essa determinação: “Guru Mahārāj me disse para pregar a consciência de Kṛṣṇa no mundo de fala inglesa, e eu farei isso de qualquer maneira.”

Primeiros anos

Nós somos muito afortunados que Śrīla Guru Mahārāj se encontrou com Prabhupād A.C. Bhaktivedānta Swāmī quando ele era Abhay Charaṇ De, ainda no ashram gṛhastha. Daquela época eles eram muito bons amigos. Śrīla Prabhupād era muito íntimo de Guru Mahārāj, e estamos muito felizes por estarmos na consciência de Kṛṣṇa sob a orientação de Śrīla Guru Mahārāj. Quando entrei mais tarde, em 1947, Śrīla Prabhupād ainda era gṛhastha. Eu era o servo de Śrīla Guru Mahārāj, e na casa de Śrīla Prabhupād eu era o comerciante.

Quando Śrīla Prabhupād se encontrou pela primeira vez com Śrīla Bhakti Siddhānta Saraswatī Ṭhākur, ele ouviu algum Hari-kathā dele, e quando ele partiu ele disse aos seus amigos: “Finalmente, nestes dias um homem apareceu neste mundo que está falando sobre a concepção de Śrī Chaitanya Mahāprabhu.” Sua expressão em bengali era: “Eta dine Mahāprabhura kathaka eka-jana manuṣera mata manuṣera hāte paḍechhe.” Desse momento ele estava intimamente relacionado a Śrīla Guru Mahārāj.

Havia duas razões para isso. Uma era que ele tinha um negócio e, por isso, nem sempre era possível encontrar-se com Śrīla Saraswatī Ṭhākur. Ele era um Vaiṣṇava brilhante e de coração puro, e assim ele escolheu Śrīla Guru Mahārāj como seu Śikṣā-guru daquele dia. Śrīpad Bhakti Sudhīr Goswāmī Mahārāj publicou o livro Guardian of Devotion, e se vocês o lerem, vocês entenderão qual era a relação entre Guru Mahārāj e Śrīla Prabhupād. O que está publicado lá vem das gravações das conversas de Prabhupād com Guru Mahārāj. Foi feito quando Prabhupād desapareceu e houve algum distúrbio na ISKCON.

Em sua vida, Śrīla Swāmī Mahārāj se encontrou com Śrīla Prabhupād Saraswatī Ṭhākur por apenas doze ou quinze dias. Mais tarde, depois que Śrīla Saraswatī Ṭhākur partiu e algumas perturbações ilusórias vieram no Gauḍīya Maṭh, Śrīla Śrīdhar Mahārāj saiu da Missão, e Śrīla Swāmī Mahārāj o levou para sua própria casa em Kolkata.

Ele tinha duas casas: uma pequena era seu laboratório e a outra era sua casa residencial. Ele deu acomodação honorária a Śrīla Guru Mahārāj nos quartos acima de seu laboratório. Quando Guru Mahārāj estava hospedado naquela casa, Śrīla Swāmī Mahārāj se encontrava com ele todas as manhãs, e eles discutiam as escrituras. Na verdade, Śrīla Swāmī Mahārāj estava aprendendo com Śrīla Guru Mahārāj como estudante naquela época.

Essa consciência de Kṛṣṇa dá uma concepção muito elevada sobre Śrī Kṛṣṇa:

yat preṣṭhair apy alam asulabhaṁ kiṁ punar bhakti-bhājāṁ
(Śrī Upadeśāmṛta: 11)

[“(O amor divino concedido àqueles que se banham no Rādhā Kuṇḍa uma única vez) é extremamente difícil para aqueles que são queridos de Kṛṣṇa alcançar, o que falar dos praticantes da devoção.”]

Por meio desse verso, temos algum dig-darśan, alguma indicação, do padrão de relacionamento em consciência de Kṛṣṇa entre Śrīla Prabhupād e Guru Mahārāj. A relação deles era desse nível de consciência de Kṛṣṇa.

Entusiasmo infeccioso

Eu estava em Kolkata principalmente para estudar sânscrito, e Guru Mahārāj também me mandava a Prabhupād: “Aprenda com Śrīla Prabhupād quando eu não estiver aqui em Kolkata.” Guru Mahārāj vivia principalmente em Nabadwīp e vinha a Kolkata de tempos em tempos, e assim tive a oportunidade de me misturar com Śrīla Prabhupād. Eu estava em minha tenra idade e seu entusiasmo entrou em minha mente.

Śrīla Guru Mahārāj disse: “Eu sou um homem que fica atrás para empurrar [back-pusher man]”. Ele estava sempre voltando, e não indo para frente como Prabhupād, que era um homem avançado. Ele nunca poderia voltar. Felizmente, tenho um pouco da natureza de Prabhupād. Nossas naturezas foram mostradas quando eu ainda era um brahmachārī e Prabhupād era gṛhastha. Prabhupād estava sempre tentando pregar a consciência de Kṛṣṇa e não apenas com Guru Mahārāj, mas com brahmachārīs de classe muito júnior como eu. Ele me levava com ele pregando de porta em porta em Kolkata. Foi a minha sorte que Prabhupād me ensinou com muita felicidade, me vendo como um bom aluno.

Queda nos negócios

Quando os negócios de Prabhupād não estavam mais indo bem, ele decidiu tomar sannyās e veio a Guru Mahārāj. Eu sei porquê o negócio dele não deu certo: quando seus clientes vinham comprar alguma coisa, ele pregava a eles sobre a consciência de Kṛṣṇa. Isso era falta dele, ele não estava pensando em seus negócios, ele estava apenas pensando em pregar a consciência de Kṛṣṇa. Dessa forma, todo o seu negócio ruiu. Por fim, vi que ele estava vendendo algumas garrafas de água destilada. Mas ele descobriu muitos medicamentos, como o Vimaltone.

O nome de seu laboratório era Laboratório Vimaltone. Era um remédio muito famoso, mas era necessário fazer a produção, distribuição e assim por diante. Um caso de tribunal de doze anos aconteceu com este medicamento: a Bengal Chemicals disse que foi sua descoberta, não a descoberta de Prabhupād! Mas Prabhupād provou que foi sua descoberta no tribunal, e eles foram derrotados. Então não houve dificuldade com isso, a única dificuldade foi que ele estava pregando a consciência de Kṛṣṇa para os clientes!

Sannyās

Então Prabhupād ficou muito pobre, e sua irmã Bhavānī Didi, que eu chamava de “Mãe” e muitos chamavam de “Pishima”, lhe disse: “Irmão, essa não é a sua vida, você deve tomar sannyās.” Prabhupād disse: “Quem cuidará da minha família?” Ela disse: “Tenho sete filhos e todos manteremos sua família”. Ela tinha sete filhos e eles não eram pobres, tinham alguma riqueza. Quando Bhavānī Didi disse isso a Prabhupād, Prabhupād imediatamente veio a Guru Mahārāj. Mas Guru Mahārāj tinha muita proximidade com sua família: quando ele ficava em Kolkata, ele morava ao lado deles. Guru Mahārāj disse: “Se eu lhe der sannyās, toda a sua família virá brigar comigo. É natural. Vá ficar em outro lugar por agora, e daqui a seis meses eu lhe darei sannyās.

Prabhupād disse: “Não, eu preciso de sannyās imediatamente. Eu quero pregar a consciência de Kṛṣṇa fora da Índia.”

Guru Mahārāj disse: “Não, eu não posso te dar agora. Mas se você quer muito, então procure Keśav Mahārāj. Eu dei meu mantra de sannyās a ele, e você pode consegui-lo com ele.”

Esse é um exemplo da natureza de “back-pusher” [que fica atrás para empurrar] de Guru Mahārāj.

Śrīla Prabhupād então foi até Keśav Mahārāj em Vṛndāvan. Naquela época, ele também ficou com o grupo de Goswāmī Mahārāj em Delhi algumas vezes, e se juntou a uma patrikā [revista] de Goswāmī Mahārāj. Em 1955, publiquei a revista Śrī Gauḍīya Darśan e ele a conseguiu em Delhi.

Depois de tomar sannyās, Śrīla Prabhupād tentou ver como ele poderia sair da Índia. Essa é a história de fundo da vida de Prabhupād. Todo mundo sabe o que Prabhupād fez depois do sannyās.

Pregação no Ocidente

Sumati Morarji, uma mulher de negócios, deu a ele a oportunidade de uma passagem grátis para Boston. Naquela época, os aviões estavam ativos, mas Prabhupād não teve essa oportunidade, então ele veio de navio para Boston. Era um navio mercante.

Ele lutou muito por um ano na América, sem dinheiro, e apenas com um ou dois kartāls e uma mṛdaṅga. Ele não tinha uma sala de reunião e começou debaixo de uma árvore em Nova York. Eu vi esse lugar. Sob a árvore ele ficava cantando o mahāmantra Hare Kṛṣṇa. Isso foi tudo: ele não fez nenhuma grande apresentação filosófica ao público. Ele também tinha alguma experiência tendo visto o padrão de pregação dos dois sannyāsis de Prabhupād Saraswatī Ṭhākur que haviam sido enviados a Londres. Eles se reuniram com pessoas de alta classe e alta patente como Lord Zetland e muitos outros e tentaram pregar a consciência de Kṛṣṇa para eles, mas nenhum fruto veio através disso. Então, Śrīla Swāmī Mahārāj tentou uma pregação bem básica, sentado debaixo da árvore e cantando Hare Kṛṣṇa. Ele seguiu esse processo.

Kṛṣṇa foi muito misericordioso com ele, Prabhupād Saraswatī Ṭhākur ficou muito feliz com ele, Śrīla Guru Mahārāj ficou extremamente feliz e adorou sua pregação, e finalmente ele foi muito bem sucedido neste mundo ocidental. Esta é a primeira história de vida de Śrīla Prabhupād.

Em hindi há uma frase, “Khuda jab deta, tab chappad phad ke deta: quando o Senhor Kṛṣṇa é misericordioso, quando Gurudev é misericordioso, então seu prato ficará cheio.” Não haverá dúvidas sobre onde você o obteve: ele veio de cima. Chappad phad ke deta significa que vai quebrar o telhado e cair.

Eu sinto isso: Mahāprabhu e Kṛṣṇa querem Se doar neste mundo material, e especialmente nos países fora da Índia. Na Índia, Śrīla Prabhupād Saraswatī Ṭhākur pregou alegremente em uma escala tão grande. Ele fez sessenta e dois Maṭhs por toda a Índia, e depois através de Śrīla A.C. Bhaktivedānta Swāmī Prabhupād, ele deu a misericórdia ilimitada ao mundo ocidental.

Quem pode resistir?

Sabemos que Nāma [o Nome] e Nāmi [o Nomeado] são não diferentes. Se o que está escrito nas escrituras é verdadeiro, então o próprio Mahāprabhu é Nāmi e Seu Nome Divino é ‘Hare Kṛṣṇa’ porque Ele é a forma não diferente de Rādhā-Kṛṣṇa. Está escrito nas escrituras e todo o mundo espiritual sabe disso.

Que Mahāprabhu quer se entregar às almas condicionadas:

kirāta-hūṇāndhra-pulinda-pulkaśā
ābhīra-śumbhā yavanāḥ khasādayaḥ
ye ’nye cha pāpā yad-apāśrayāśrayāḥ
śudhyanti tasmai prabhaviṣṇave namaḥ
(Śrīmad Bhāgavatam: 2.4.18)

[“Kirātas, Hūṇas, Andhras, Pulindas, Pukkaśas, Abhras, Śuhmas, Yavanas, Khaśas, e outros de nascimento pecaminoso, bem como pessoas de ação pecaminosa, são purificados ao tomarem abrigo naqueles que são abrigados por Ele. Ofereço a minha reverência a Ele, o Todo-Poderoso.]

Quem pode controlar isso? Quando Mahāprabhu quer entrar em seu coração, quando Nitāi-Chaitanya, Nitāi-Gaurāṅga, Gaurachandra, na forma de Parama-karuṇā vieram para cá, quem pôde resistir a Eles?

https://premadharma.org/essence-hare-krishna-movement/