O Nascimento do Não Nascido

Kushum Sarovar

Por Sripad Bhakti Kamal Tyagi Maharaj

Pense nesse tipo declaração: “O não nascido nasceu.” Ou é um absurdo, ou alguma compreensão adicionada a um conceito geral. Mas ela fala das contradições nos Passatempos de Krsna. Ele é não nascido, mas Ele nasce. Ele é autossatisfeito, mas tem fome. Ele é não conhecível, mas Ele fica confuso e recebe ensinamentos. Ele é autossuficiente e ainda assim Ele recebe os cuidados de Sua mãe, de Seu pai, dos mais velhos. E por aí vai. Tantas contradições. Mas então é dito que se pudermos apreciar que o não nascido nasceu, que o autossuficiente tem necessidades, que o conhecedor de tudo está surpreso, não são contradições com sentido negativo. São ornamentos da contradição. Em composição e coisas assim, isso é alankar [ornamento], que se chama contradição, e apesar de o sê-lo é uma coisa bela.

Que Ele é tudo isso e tem também esses Passatempos em que Ele nasce, fica surpreso, tem necessidades, são oportunidades de serviço. Oportunidades para um relacionamento adicional, uma chance mais profunda de servir, de amar, de ter alguma interação contínua significante, e isso em si é o mais satisfatório, a coisa mais maravilhosa que existe, realizar a vida progressiva eterna das almas no estado liberado. E sem estas coisas, o que nos restaria? A busca da liberação em um sentido de torpor (que nós possamos estar livres destas coisas). Porque ficaríamos com algo tão vago, que é difícil diferenciá-lo de apenas ser averso ao sofrimento. Queremos sair deste mundo porque ele é deficiente. Mas para onde estamos indo, não sabemos. Ficaríamos com questões dessa natureza.

Então falar sobre o Janmastami de Krsna, os Passatempos Dele, isso é o que nos dá um vislumbre do prospecto eterno mais elevado das almas. A natureza positiva eterna da existência espiritual. Então qual tema poderia ser mais feliz? O que poderia ser mais significante de tornar conhecido ao mundo do que isso? Sem saber disso, o que resta às pessoas fazerem? Ou ficar cansado e dizer: “Tudo é uma droga, quero dormir e aniquilar minha existência pela eternidade.” Ou dizer: “Ah isso não é tão maravilhoso, mas dá para aproveitar algo, vamos então tentar desfrutar o que dá.” Ficaríamos com bhog ou tyag, exploração e renúncia. Sem expectativa de felicidade, sem bhakti. Que condição triste. Apenas atração e aversão. Então introduzir essa expectativa na vida das pessoas, que coisa mais significante poderia haver? Que coisa mais esperançosa, mais significante, qual elemento pode produzir mais sentido a cada momento de nossas vidas.

Então sobre esse assunto, a sutileza da descrição analisada do Bhagavatam, o que Srila Guru Maharaj disse, os comentários de Srila Visvanath Chakravarti Thakur, que dizem que Krsna é Nanda Nandan, Ele não é Vasudev Nandan, porque isso é apenas uma descrição externa, que Ele é considerado o filho de Vasudev. Mas de fato Ele é o filho de Nanda.

Então pode-se questionar, por que Sukadev Goswami não falou de maneira mais simples? Por que ele não falou mais diretamente: “Krishna é o filho de Nanda Maharaj, e Ele permitiu, para esse outro propósito, que Vasudev O visse nessa forma de Visnu e o trouxesse a Vraja. Mas de fato Krsna é o filho de Nanda Maharaj.” E por que Sukadev Goswami deu uma descrição tão longa para um aspecto tão externo, de Visnu vir e assumir a forma de uma criança na presença de Vasudev, e aí apenas com algumas dicas sutis, através da descrição do décimo canto, ele indica a posição de Krsna. Por que?

Isso nos lembra o ponto que Srila Guru Maharaj enfatizou, por que Sukadev Goswami não mencionou a posição de Srimati Radharani, se cada sílaba, se cada palavra em todo o Bhagavatam está ali para louvar sua glória e posição? Por que ele não a descreveu por seu nome? Por que ele não deixou claro quem ela era? Entao Jiva Goswami Prabhu analisou isso e deu este ponto, de que a audiência para quem Sukadev falava, não era apta a escutar aquilo, ele não podia descrever as coisas completamente. O que ele descreveu foi de acordo com a mentalidade e capacidade de sua audiência. Então ele não entrou em descrições diretas de madhura-rasa, ou no nome dos líderes de serviço deste campo. Porque ele sabia que para muitos desses rsis, dos seguidores do dharma ariano, que o nível deles era se conformar com a ideia de que a verdade suprema mais elevada é essa criança ou menino brincante, até mesmo mal comportado que está dançando acima da noção deles do que é dharma. E isso não é um ponto fácil de se engolir. Podemos dizer que não é um ponto fácil para as pessoas da nossa sociedade de hoje em dia engolir. Mas nos é dito que as pessoas da nossa sociedade são muito degradadas, e a preocupação delas com a virtude e a verdade é muito fraca. Então para essas pessoas fracas e degradadas da Kali-yuga é difícil entender isso. E para os rsis arianos convictos portadores do dharma das eras anteriores seria também? Isso é muito difícil de ajustar. Pessoas que eram tão resolutas aos princípios de virtude. E eles tiveram que escutar que estes princípios não são absolutos, mas relativos. E que eles empalidecem, desvanecem em insignificância à luz das trocas entre Krsna e os devotos de Vrndavan. A inquestionável posição de Krsna, e de Seu desejo. A ponto de que qualquer coisa que Krishna queira, isso é dharma, é organizado, é etiqueta, é conduta e é para ser aceito. Qualquer forma que isso assuma. Isso é simplesmente a conclusão de tudo isso. A mais elevada lei é o desejo de Krsna, não é nada que você possa conceber, ou prever.

Aceitar que estamos em um ambiente cujos princípios organizacionais estão além da nossa compreensão. E sermos inclinados a permanecer em tal ambiente, e nos movermos de acordo com ele. Isso é uma coisa bela que vai além de qualquer compreensão mental, ou conhecimento. Como no mês passado vimos o novo filme que foi feito sobre A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupad, e em uma das entrevistas, um dos discípulos descrevendo algumas de suas experiências com Swami Prabhupad, disse que todo dia quando se levantava e ia ao encontro dele, ele ficava tão entusiasmado, quando entrava no quarto de Prabhupad ele não tinha a menor ideia do que ia acontecer com ele no minuto seguinte. E ele disse que escutou coisas tão maravilhosas, que foi enviado a fazer coisas tão maravilhosas, que se encontrou em tantas situações maravilhosas. Qualquer coisa pode acontecer. Coisas além dos nossos sonhos de fato aconteceram.

Então é muito legal esse sentimento do devoto, de não saber o que vai lhe acontecer, e estar sentindo ansioso por isso. Estar nas mãos de algum manipulador, e você não sabe o que vai acontecer, e também não está no controle do que vai acontecer. Mas você gosta disso! Está feliz por isso, e está ansioso por isso!

E isso está mostrando, podemos dizer,  a conclusão teórica final que é extraída, que nos leva ao final da terra da teoria, às margens do oceano do lila, por assim dizer, onde tudo entra no plano que está além do que podemos conceber, ou que pode se conformar a princípios que podemos compreender. Mas mesmo assim é muito maravilhoso ser parte. Para todos os rshis arianos e para os ouvintes do Bhagavatam no momento em que Sukadev Goswami está falando para abraçar este princípio, e aqui isso está expresso mesmo em maneiras que são contrárias ao dharma ariano, é um passo acima. E é esse passo que Sukadev Goswami está dando e estabelecendo para eles. E é significativo que esse ponto seja ajustado para eles.

Então todos os específicos ou alguns extremos particulares ou maravilhas que acontecem naquele plano do Krsna-lila, ele não está pulando imediatamente nestes detalhes. O que é uma coisa muito legal de se notar. Não é que temos que descrever tudo completamente para toda e qualquer pessoa. Mas ao contrário, queremos uma apreciação e reconhecimento reais para estas coisas. E precisa ser lidado passo a passo, a cada estágio, para que haja uma compreensão e aplicação apropriada na vida de alguém.

Ao longo destas linhas entendemos a razão de Sukadev Goswami em não mencionar o Nome de Srimati Radharani, ou muitas de suas confidenciais, de não descrever muito longamente alguns Passatempos de Krsna em madhura-rasa. Mas podemos adicionar a isso, e escutamos que Sukadev Goswami não dá nem muita ênfase direta a esse ponto de que Nanda Nandan Krsna é originalmente filho de Vasudev Krsna. Ele diz isso, ele indica isso, está lá, para aqueles que podem encontrar, mas para um leitor casual, isso pode passar despercebido. Ou podemos, através de alguma interpretação calculada, tentar extrair isso. Encontramos que Krsna é descrito como nandatmaja [Chaitanya-charitamrta 7.7], ou pasupangajah,  que ele nasceu de um vaqueiro, ou que ele é o rebento de Nanda, e alguém pode perguntar o que significa ser filho de Nanda. Mas está claramente descrito no Bhagavatam que ele nasceu na prisão de Kamsa, então se Ele é descrito como o filho de Nanda, ou como o filho de um vaqueiro, isso é por associação social, porque ele foi criado como o filho de Nanda, por essa razão Ele é filho dele. Algumas pessoas podem tomar o significado dessa maneira. Mas o que isso implicaria, é que o Krsna-lila e todas as coisas que estão além do dharma geral que acontece ali, são uma subparte rara dessa rígida cobertura cultural da virtude. Mas o que de fato é para ser entendido é que o plano do amor origina o plano da virtude, o plano de Vrndavan origina o plano de Vaikuntha, do dharma ariano. Que o amor é fundamental, que as trocas de amor incondicionais, abertamente encontradas em Vrndavan, estas coisas são a realidade fundamental além do outro fato, de que o Senhor apareceu para remover o peso da Terra, como geralmente é dito ser a causa dos Avatares do Senhor.

Em geral o que é conhecido e apreciado pelas pessoas?  Que Ele vem ao mundo para ajudá-lo. Para levantar os bons, destruir os maus, para estabelecer o dharma, para trazer paz ao mundo o Senhor vem. Mas de fato chegamos a compreender que o propósito real do Senhor vir ao mundo como Krishna é para revelar o amor que Ele troca com as pessoas de Vrndavan. Para fazer conhecido o começo da distribuição da mais elevada e refinada qualidade da vida espiritual para as pessoas mais desqualificadas. Uma coisa muito extraordinária começando a acontecer. Mas as pessoas daquela época, que estavam mergulhadas no dharma, inicialmente  não tinham toda a fundação para isso. Então Sukadev Goswami começa sua descrição do Krsna-lila com a Terra implorando a Brahma, Brahma orando a Visnu, e e Vishnu descendendo e assumindo a forma de uma criança e indo para Vrndavan.

Quando você estuda os trabalhos de Rupa Goswami, e dos Acharyas Gaudiya Vaisnavas, você chega até a dizer que Sukadev está praticamente escondendo isso. Que ele está escondendo quem Krsna é. Por que ele não diz diretamente. Então Sukadev Goswami, o mais exaltado e reconhecido atmarama que teve uma tal alta conexão com Krsna, que é utilizado de tal maneira profunda como um instrumento, que é glorificado por Vyasa, temos que ajustar tudo isso ao fato de que Sukadev está melhorando e tornando tudo tão maravilhoso, e ao mesmo tempo de maneira sutil, declarando algumas coisas, e permitindo que outras noções gerais de dharma e divindade fiquem na mente de seus ouvintes à medida que eles se movem em estágios particulares de compreensão. E aí como é que tal alma caída como eu, ou outras pessoas, podemos vir a escutar sobre todos esses tipos de sutilezas, e o que foi extraído por todos estes elevados Acharyas, e estes grandes sábios que tinham total autocontrole não souberam nada disso? Então nós sentamos aqui e dizemos: “Pois é, eles não souberam disso, e nós sabemos.” Nós quase parecemos ridículos e audaciosos em falar dessa maneira. Parecemos orgulhosos quando não sabemos de nada mesmo. Mas podemos dizer que alguma parte disso deve ser verdade. E ao mesmo tempo podemos dizer que essa é realmente alguma circunstância extraordinária onde alguma revelação divina da ordem mais divina, vinda de Chaitanya Mahaprabhu, vinda de Srila Rupa Goswami, vindo através de sua linha, está vindo e sendo distribuída de uma maneira tão liberal, tão extraordinária para o mundo.

Estas coisas estão de alguma maneira sendo conhecidas mesmo para pessoas que são tão desqualificadas. Algumas vezes Gurudev disse: “Para o ocidente, raga-marga é muito apropriado.” Ele disse isso dessa maneira algumas vezes: “Para o ocidente, não há nenhuma expectativa de vidhi-marga.” De alguma maneira, essa coisa muito refinada está vindo acessível e apropriada. Se não for alguma misericórdia extraordinária de Mahaprabhu e de Nityananda Prabhu, ou a misericórdia de Krsna e Balaram então o que poderia ser?

Não é que vamos ficar por aí orgulhosos com esse conhecimento, mas ao contrário seremos mais ainda humildes, e mais direcionados a apreciar apropriadamente a graça que recebemos. E de alguma maneira reciprocar em gentileza, com nosso Gurudev e os Vaisnavas algo tão extraordinariamente elevado, maravilhoso. Tal expectativa divina é isso o que queremos sentir, e sinceramente absorver, no dia do Krsna Janmastami, quando lembrando o aparecimento, o significado de Seu aparecimento, de Seus Passatempos, e como isso veio a ser conhecido e glorificado pelo mundo por Sri Chaitanya Mahaprabhu e Seus associados. Assim passaremos nosso dia em lembrança destas coisas, recitando o Chaitanya-charitamrta, e novamente juntar os devotos para um grandioso kirtan de glorificação.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s